Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Abiúl – A inegável seriedade do toiro…

  • 2017-08-06 23:28
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


O segundo dos três festejos agendados para Abiúl, realizou-se ontem à tarde, de forma triunfal, sobretudo no que a cartel concerne, com a apresentação de seis touros de trapio incontestável.
Três quartos de casa, para um elenco composto por Filipe Gonçalves, João Telles Júnior, toiros Murteira Grave, Grupo de Forcados da Tertúlia Tauromáquica Terceirense e Manuel Escribano.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

O toiro voltou a ser Rei em Abiúl.
O trabalho desenvolvido pela comissão organizadora do evento abiulense, diga-se, Junta de Freguesia de Abiúl, voltou a dar cartas nesta organização e dizemo-lo, sobretudo, porque a estampas de toiros saídos à arena, é de quem valoriza o ícone-primeiro em importância na Festa.

Assim sendo, note-se que pelo segundo dia consecutivo, o curro de toiros exibido, foi de grande nota em apresentação e hoje, à semelhança do que ontem aconteceu, houve mesmo um toiro que motivou a chamada do ganadeiro à praça.

Os toiros de Murteira Grave para o toureio de capote e muleta, foram os menos manejáveis, bem como o que lidou Telles Júnior em primeiro lugar. Destacou-se como bravo, o segundo lidado também por Telles.

Apresentou-se em Abiúl, Manuel Escribano, desenvolvendo duas actuações similares, sendo que a segunda, foi de melhor nota, com mais profundidade e aproveitando a maior potabilidade do astado que teve por diante. Escribano, sem deslumbrar, acabou por agradar ao conclave, sobretudo em capote, recebendo os oponentes com largas afaroladas de ‘rodillas’ e, em bandarilhas, com a ‘facilidade’ que se lhe reconhece.

No que diz respeito às actuações equestres, destacam-se como muito boas, as duas da segunda parte. Note-se, que Filipe Gonçalves e Telles Júnior, haviam estado bem na primeira parte, mas foi na segunda, que puseram toda a carne no assador. Com os seus respectivos estilos e a eles fiéis, Gonçalves e Telles cravaram a maioria dos curtos com batidas ao piton contrário, de forma alegre e a impactar junto do público.

No sector das jaquetas de ramagens, as coisas correram de forma ‘pacifica’, ou seja, pegas consumadas com dignidade, sendo que a última, foi de grande nota.

Foram caras pela Tertúlia Tauromáquica Terceirense, os forcados João Ávila, Luís Cunha, João Silva (dobrando o inicial Francisco Matos) e Tomás Ortiz. As pegas foram consumadas ao primeiro intento, segundo, quarto e primeiro intentos.

Dirigiu o festejo, com cerca de três quartos de lotação preenchida, o Sr. Lourenço Luzio.