Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Moura - Pouco, muito pouco...

  • 2017-09-09 11:27
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Actuaram ontem à noite, em Moura, os cavaleiros Filipe Gonçalves, João Moura Caetano e Francisco Palha, frente a toiros de Pinto Barreiros.
As pegas estiveram por conta, em solitário, dos verdadeiros triunfadores da noite, o Real Grupo de Moura.
A Praça de Touros de Moura, registou cerca de meia entrada.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

Jogo do Benfica e apenas, escassos dias para o início das aulas, podem bem ser motivos que justifiquem, que em plena época de festa em Moura, o seu tauródromo tenha registado uma pouco satisfatória presença de público.
Se não bastasse que o Grupo de Forcados da 'casa' pegasse sozinho seis toiros, a verdade é que, o elenco no que a cavaleiros concerne, tinha implícita competição, ainda e sempre um íten que não deve faltar numa corrida.
Pois bem, meia casa e mesmo com a presença de Nossa Senhora do Carmo, não houve um 'jeitinho', para que se passasse uma noite divertida e de pura afición...
O curro de toiros da ganadaria de Pinto Barreiros, esteve desigual em apresentação, mas sobretudo em comportamento. A maioria dos toiros adiantava-se na viagem, sendo que uns, tiveram mesmo tónica de mansos. Mas calma, não foram todos assim... Os tais, alguns dos que se adiantaram, 'apenas' pediam contas e mais, se não as pedissem eles, deveria ter sido o público a pedir...
Em Moura, houve pouco, muito pouco!
Palavra de apreço ao Real Grupo de Moura, que enfrentou as pegas da noite, seis pegas, diga-se, com dignidade e até muitos recursos. Todas as funções, foram efectivadas ou ao primeiro intento, ou mesmo ao segundo, pelo que, se houve um triunfo, será desta formação. Os homens da frente, foram João Cabrita, cláudio Pereira, Rui Branquinho, Xavier Cortegano, Valter Rico e Gonaçlo Guerreiro.
No que a cavaleiros concerne, a história é fácil de contar. Caetano, João Moura Caetano, enfrentou-se com um manso sem recursos, cravando-lhe os melhores compridos da noite e um curto de muitos quilates. O toiro rachou-se e o que poderia ter sido um triunfo, resume-se a um esforço gigante do toureiro. Frente ao segundo, cumpriu com regularidade, deixando com preceito a ferragem da praxe.
Francisco Palha, andou no tal registo da regularidade, sendo que as suas duas prestações decorreram em tom crescente. Terminou-'as' muito bem, ora com par de bandarilhas, ora com palmitos.
Em noite menos acertada, andou o cavaleiro Filipe Gonçalves. Muitos toques nas montadas, alguns fortes, passagens em falso e algum desacerto na precisão da reunião, fizeram desta noite, uma das 'menos' da sua temporada. Resta frisar, para que não que não se dê lugar a já tipicas revoltas, que Filipe enfrentou-se com o toiro que mais se adiantava e que esse facto, complicou em muito o desempenho do ginete algarvio.
Dirigiu o Sr. Agostinho Borges, uma noite de fracas recordações, em que houve pouco, muito pouco...

Meteorologia