Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Editorial - Outubro - Todos diferentes, todos iguais!

  • 2017-10-10 22:02


'Hoje, não vislumbro outro assunto para abordar neste Editorial de Outubro, que não seja, aquilo que infelizmente se sobrepõe a tudo o que comecei por dizer…'

Poderia neste editorial, falar da baixeza em que está mergulhada a festa dos toiros…

Poderia falar da suposta imprensa blogueira e a sua podridão ao publicar uma imagem minha, em Beja, fazendo afirmações falsas, escabrosas, mentirosas, difamadoras… poderia, falar de tantos jogos de bastidores, que em nada, fazem jus a competições saudáveis, negócios transparentes e romantismo… pelo cano abaixo… poderia até falar, de tudo o que sei e que ‘os’ tira do sério, tendo ‘eles’, por isso, que ordenar perseguições ao TouroeOuro… poderia, se fosse exactamente igual a ‘eles’…

Hoje, não vislumbro outro assunto para abordar neste Editorial de Outubro, que não seja, aquilo que infelizmente se sobrepõe a tudo o que comecei por dizer…

Morreram dois forcados, nesta tristíssima temporada e disso, viverão todas as recordações deste ano 2017.

Esqueçam-se da ‘má’ Moita, da ‘má’ Vila Franca… da suposta venda do Campo Pequeno, da eventual mudança de equipa neste tauródromo, da saída de Penedo da ‘Casa Rouxinol’, dos favorecimentos e desfavorecimentos de alguma ‘suposta’ imprensa… Esqueçam-se…

Nada disto terá importância, perto dos acontecimentos do mês que ficou para trás… Setembro negro, Setembro fatídico… Primeiro o querido forcado Pedro Primo, depois, o poderoso forcado Fernando Quintella… Raios, que foi isto?

Sábado, em Beja, falei com um amigo que conheceu bem o Pedro… a sua vida apenas não foi de merda, porque o seu coração foi sempre muito maior que o destino que Deus lhe deu… Teve amigos, teve alegria, teve vontade e teve todos os ingredientes para ser um marginal… não o foi! Foi digno, foi mais, foi um ilustre em Cuba (sim, porque os ilustres não são apenas e só os endinheirados) e isso notou-se até na hora da partida… Todos estiveram com o Pedro… Todos! Até mesmo quem não o ‘quis’ quando ainda era pequenote, quando ainda precisava de beijos e abraços, de mimos, de carinhos… Foram os amigos e terão de ser esses, os amigos, a honrar a sua memória… Faça-se qualquer coisa, faça-se uma estátua, faça-se um festival, faça-se justiça!

Sei que o Fernando Quintella, que viria a partir apenas nove dias depois de Primo, terá tudo o que a sua condição de bom Homem e bom forcado, mereciam… Tinha na família um forte pilar, nos amigos e companheiros de jaqueta, também… Tinha até uma Associação de Forcados…

E o Pedro? ‘Não tinha’ família, tinha uma jaqueta renegada por outros homens como ele… exactamente iguais…

E o Pedro? Não terá ele direito a uma grande Homenagem póstuma?

Bora lá pessoal aficionado, vamos fazer qualquer coisa… O TouroeOuro está cá para ajudar no que puder, para lançar a ideia, para promover, para TUDO!

Porque nisto dos touros, somos todos diferentes, mas todos iguais!

Beijo Pedro (não deixes de sorrir…), beijo Fernando (não deixe de ter fé…)…

Meteorologia