Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Balanço de Temporada – Cavaleiros Amadores e Praticantes

  • 2017-11-08 11:07
  • Autor: Solange Pinto


O futuro está nos jovens... por entre os melhores de 2017: David Gomes, Veronica Cabaço, Mara Pimenta e Joaquim Brito Paes

Nos jovens, está e estará sempre o futuro da Festa...
Os veteranos de hoje, cavaleiros importantes, com décadas ligadas ao toureio, quiseram, tal como os 'miudos' de agora, oportunidades...
O mundo taurino, vive hoje, um problema sem fim à vista... O filtro que deveria ser feito pela qualidade, parece hoje, mais que nunca, ser feito muito mais pelos jogos de influência.
Pois bem, afastemo-nos desta inegável e triste realidade, esqueçamo-nos do muito que têm que investir os novos toureiros, para se poderem integrar em certos cartéis, para analisar, quem foram os nomes que marcaram pela positiva.

O sector dos praticantes ficou mais pobre, fortalecendo o abastado leque de toureiros profissionais. Parreirita Cigano e Luís Rouxinol Júnior, 'doutoram-se' em 2017, fazendo cerca de metade de temporada, já como cavaleiros de alternativa.

Há dois nomes a registar no que ao estrangeiro concerne.
David Gomes e Mara Pimenta, são os dois ginetes, que, não sendo profissionais, mais actuaram além-fronteiras. De David Gomes, chega constante eco do abastado número de orelhas que corta nos seus compromissos. É quiçá, dos mais experientes toureiros praticantes, pelos largos anos que leva de carreira e das muitas actuações que leva no país vizinho.
Mara Pimenta, baseou a sua temporada em Espanha, onde continua de resto, a sua aprendizagem, junto de Diego Ventura. O debute em terras de 'nuestros hermanos' foi este ano, em Mazanilla, mas, houve mais compromissos e com auspiciosos resultados.

Por cá, temos contam-se nomes como António Prates, a deixar grande ambiente numa temporada em que apareceu mais maduro. O próximo ano, será o da confirmação de valores.
Madura e com novo 'aire', afirmou-se quiçá como a mais segura praticante, Verónica Cabaço. Com o experiente João Anão como apoderado e ilusões renovadas, aponta-se o nome da toureira de Samora, como o mais destacado neste sector.
Dando importante passo adiante, surge o nome de Soraia Costa. Esteve bem no Campo Pequeno e Figueira da Foz, sendo que, ainda assim, haverá longo caminho a percorrer. A sua imagem tem força e com arestas limadas, pode bem ser caso a dar relevo na próxima temporada.
Cláudia Almeida, é um caso. Um caso de simpatia, de simplicidade, de humildade e de vontade. Pode e deve ser tida em conta para palcos de maior destaque e pode e deve, transpor o tal filtro de que se falou no início desta análise. É urgente que se olhe para esta toureira, porque pode valer... Onde actua, não defrauda e o resto são cantigas. A sua vertente de 'toureio popular', tem lugar na Festa.
Há outros nomes, como Francisco Correia Lopes e Francisco Núncio e... outros tantos que surgirão e que terão todo o tempo do mundo para mostrarem o que são e o que valem o tamanho dos seus sonhos...

Ainda como amador, há um importante nome a reter. Joaquim Brito Paes. Por entre outras, a sua actuação na Moita, na Feira Taurina de Setembro, foi uma lufada de ar fresco... Tem maneiras, monta bem, sabe ao que anda, está feito um toureiro de mão cheia. Tem classe aliada ao modernismo.
Espera-se que o ano 2018, desfaça qualquer dúvida a quem a possa ter e que seja a temporada de ascenção na carreira que o conduzirá daqui a uns 'tempitos' a mais um dos cavaleiros da dinastia Brito Paes.