• geral@touroeouro.com

Opinião d'Ouro - 'O meu Euromilhões'

  • 2018-04-22 13:01
  • Autor: Solange Pinto


'Chegar a Sevilha e ter portas abertas pela empresa Pagés, num reconhecimento absoluto do valoroso trabalho do TouroeOuro.com, já era motivo mais que animador, mas, aliado a isto, poder desfrutar do colosso que é Julián Lopéz ‘El Juli’, frente a um toiro bravo, premiado com o seu regresso ao campo, então… que se pode pedir mais?..'

Sonha mudar de vida?

Eu sim. Eu e quem como eu trabalha todos os dias, na ânsia de conseguir tudo o que precisa para ser feliz, materialmente falando…

Assim sendo e de passeio pela Calle Sierpes, em Sevilha, na passada segunda-feira, eis que me cruzo por uma casa de jogos… Vamos lá tentar a sorte!

Superstição ou feeling de que iria ser um dia feliz!

Não! Não ganhei o euromilhões, nem o raio de uma estrela acertei, mas… acertei na corrida que vi na Real Maestranza de Caballería de Sevilla. A estrela, afinal de contas estava comigo!

Na minha condição de aficionada, é como se tivesse feito o primeiro prémio do euromilhões… Juli deu-me o boletim com a combinação certa, ‘oferecendo-me’ ainda o prémio do ‘milhão’, ou seja, o indulto de ‘Orgullito’, de Garcigrande.

Há muito tempo que as lágrimas não me assaltavam daquela forma. Há muito tempo que sonhava ver tão grande tarde de toiros! Há muito tempo, que sonhava ser premiada, ficando milionária no que às emoções da tauromaquia concerne.

Chegar a Sevilha e ter portas abertas pela empresa Pagés, num reconhecimento absoluto do valoroso trabalho do TouroeOuro.com, já era motivo mais que animador, mas, aliado a isto, poder desfrutar do colosso que é Julián Lopéz ‘El Juli’, frente a um toiro bravo, premiado com o seu regresso ao campo, então… que se pode pedir mais?

Vamos por partes…

Não sou ‘das’ que acha, que em Portugal se faz tudo mal e em Espanha tudo bem, mas concorde-se, que em Portugal se diz mal de tudo e por entre comentários sensibilizados face ao toureiro madrileno e ao indulto, a verdade é que houve alguns, infelizmente muitos, que acharam um exagero o que ali se passou e que foi difundido graças às câmaras televisivas.

Acordem, são tardes como estas, que dão um verdadeiro impulso à tauromaquia mundial. Os abraços que vi por entre o público, as lágrimas, os sorrisos, os gritos de verdadeira loucura, as capas dos jornais, as manchetes… isto e só isto pode ser a alavanca que o mundillo precisa.

Dos ‘cinzentos’ não reza a história… Eu, exigente que sei lá, muitas vezes exigência fruto de saturação de por aqui e por ali, mais do mesmo, apenas me regozijo da sorte que tive e da importância de triunfos como este… Em Sevilha, há competição no elenco do mesmo festejo, mas até mesmo de corrida para corrida. Veja-se como actuou Manzanares no dia seguinte… Roca Rey…

Falem o que falarem… o bilhete premiado foi meu e daquelas catorze mil almas…

Afinal não quero mudar de vida, quero sim, que a vida me deixe viver estes momentos, aqueles que o euromilhões não pagaria!