• geral@touroeouro.com

Editorial - Aniversário - 'Sete – O número da perfeição e da benção…!'

  • 2018-06-10 13:04
  • Autor: Solange Pinto


'Seguimos em frente com as cicatrizes, mas com a experiência e sobretudo com a certeza de que podemos enfrentar qualquer toiro, por mais complicada que seja a sua lide. Superaremos tudo, porque já superámos tanto.'

Sempre tive um fetiche com o número sete.

É esteticamente elegante, é ímpar, permitindo desequilíbrios por vezes necessários e sobretudo, está associado à sorte.

Hoje, completamente embebida na pesquisa da relevância do número sete, percebi, que o sete é muito mais que isto que atrás descrevi, o sete, é considerado o número da perfeição e da consagração. O sete, representa o triunfo do espírito, sobre a matéria.

O sete, é o número da bênção!

Refiro tudo isto, porque no momento em que escrevo este editorial, disserto em pensamento sobre os sete anos de ‘vida’ do TouroeOuro, cumpridos exactamente, hoje e mais, sobre a sorte que vivi à três pares de horas… reafirmando a minha condição de aficionada, dando-lhe de beber da mais genuína forma, a do triunfo!

Recuo ao dia 10 de Junho de 2011.

Apostámos tudo no TouroeOuro e as fichas, todas, repito, deram-nos o triunfo que sonhámos… ‘Nascemos’ em Santarém. Actuavam nesse dia, Moura, Ventura e Tomás Pinto. Praça cheia até à bandeira. Hoje, sete anos depois, festejo nestes momentos, a ‘idade adulta’ do maior rejoneador de todos os tempos e o seu mais histórico triunfo, Diego Ventura, no dia em que festejo também, a idade da perfeição do TouroeOuro, ou não estivéssemos no seu sétimo ano… Quantas portas grandes de Ventura em sete anos… quanto evoluiu este toureiro ao ponto de se tornar o ídolo de todos nós!

Passito a passito, consolidando-se, contornando obstáculos, passando barreiras que pareciam intransponíveis… Cortou um rabo em Madrid! Foi o único rejoneador a fazê-lo na história da tauromaquia. Fê-lo 46 anos depois de que um matador o fizesse ali pela última vez.

Terá sido fácil o percurso de Ventura? Claro que não. Deve tudo a seus pais, a amigos especiais… ao seu trabalho e à sua genialidade. Nem mesmo os detractores o demoveram ou o demoliram… quiçá o tenham ‘espevitado’, motivado…

Aqui no TouroeOuro, sentimos igual. As cornadas dos que nos querem colher, são tratadas por médicos como Ramón Vila ou García Padrós. Seguimos em frente com as cicatrizes, mas com a experiência e sobretudo com a certeza de que podemos enfrentar qualquer toiro, por mais complicada que seja a sua lide. Superaremos tudo, porque já superámos tanto.

O trabalho da equipa TouroeOuro é por Vós, a sorte é nossa e a bênção do sete, trouxe-nos a possibilidade de ver escrita mais uma página dourada no livro da história da tauromaquia. Estamos nos grandes palcos, com as grandes figuras, nos colossais triunfos!

Diego um dia sonhou o que parecia impossível. Cortar um rabo em Madrid… E cortou!

Continuo a acreditar e sonhadores também somos… Que a bênção do sete perdure no TouroeOuro!

Meteorologia