• geral@touroeouro.com

Vila Franca – Palha e Casquinha agigantaram-se…

  • 2018-07-08 23:00
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Grande tarde de toiros em Vila Franca.
Dois terços de entrada de um público que viu dois triunfos importantes, o de Francisco Palha e o de Nuno Casquinha, com boa actuação também de Luís Rouxinol e um menos 'visivel' Pepe Moral.
Curro de toiros com interesse de Palha, com trapio e transmissão e boas pegas dos Amadores de Vila Franca.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

A ‘condição’ que me determinou aficionada, determinou também que nunca desistisse de o ser… ouvi sempre, dos ‘antigos’, ou pelo menos, dos que mais que eu já viveram, que para se ver uma boa corrida, teríamos de passar por algumas provações, ou seja, teríamos de ver algumas e ter um abrangente leque de comparação…

Assim é, acredito nisto e se não acreditasse, na passada quinta-feira, teria desistido de ser o que gosto de ser, ou seja, aficionada, mais de que qualquer outra coisa ou de outra função que possa desempenhar…

Vivo para ver o que hoje vi. Vivo a sonhar o que hoje vivi…

Grande tarde de toiros, com três nomes importantes e que são os verdadeiros protagonistas da jornada. Ganadaria Palha, Francisco Palha e Nuno Casquinha.

A verdade é que, quando há toiros, podem sempre surgir toureiros e o resto são cantigas de embalar. E hoje, na Palha Blanco, houve toureiros, houve touros e numa primeira instância, houve um empresário, que soube o que a ‘sua’ praça pede, o que a sua praça exige e valoriza, provando que, ‘polémicas’ à parte, Ricardo Levesinho, é o Homem certo, no lugar certo!

A tarde começou com uma prestação agradável a duo, encabeçada por Luís Rouxinol e Francisco Palha. Estiveram bem, ‘agradáveis’ de se ver, com ritmo e a entreter… Bom toiro de Palha e um auspicioso início de espectáculo.

Nas lides a solo, Rouxinol andou com a sua costumeira raça, lidando com o Douro, muito em curto, elevando o ambiente para o que viria a seguir… e a seguir, veio Francisco Palha!

Que actuação de Francisco Palha, frente a um soberbo toiro de Palha, premiado com a volta à arena do maioral. Palha transcendeu-se, saiu do ‘armário’, chegou e disse! Disse que quer, disse que pode ser figura do toureio! Boa actuação, até ao momento em que deu a volta ao texto e fez da sua boa actuação, uma actuação agigantada. Três ferros de parar corações, em terrenos de muito compromisso, sendo que num deles foi literalmente desmontado, caindo, sem consequências… Praça ao rubro, num triunfo inesquecível.

As pegas estiveram a cargo dos Amadores de Vila Franca, sendo efectivadas com brilhantismo pelos forcados Francisco Faria, ao seu terceiro intento, dobrando o inicial intento de Rui Godinho, Bruno Tavares à primeira e David Moreira à segunda tentativa.

Do mesmo ‘aire’ de triunfo, viveu Nuno Casquinha. O seu labor frente ao primeiro do seu lote, foi qualquer coisa do ‘outro mundo’, que tem que valer… valer contratos, valer respeito, valer, valer, valer…!

Houve Casquinha pelos dois pitons, com maneiras, com poderio, com ofício e já muito traquejo. Esteve enorme até nas bandarilhas, que pares! Actuação completa, a pôr Vila Franca ‘boca abajo’!

Frente ao segundo, voltou a impor-se em bandarilhas e a andar bem…

Pepe Moral, passou discreto em Vila Franca, nunca se confiando com o seu lote, diga-se, o pior do festejo.

Palavras de apreço para Casquinha, por ter convidado Pedro Gonçalves a bandarilhar e para a exposição de Filipe Gravito durante toda a sua estadia na arena.

Tardes assim fazem aficionados… toiros assim, fazem esquecer outras ‘cenas’ e toureiros como Palha e Casquinha, fazem-nos acreditar…

Dirigiu com desacerto na atribuição de música, João Cantinho, numa tarde em que Vila Franca deveria ter mostrado a sua força no que a público concerne… Quem não veio, lamentar-se-à por muito tempo…

 

Meteorologia