• geral@touroeouro.com

Caldas da Rainha - 'Que me desculpem os Rouxinóis'…

  • 2018-07-29 04:31
  • Autor: Rodrigo Viana


Dia importante nas Caldas da Rainha.
Praça cheia, para ver um cartel composto por pais e filhos, ou seja, João Moura e Miguel Moura, António Telles e António Telles filho e Luis Rouxinol e Luís Rouxinol Júnior.
À arena sairam touros da ganadaria Fernandes de Castro e um novilho da ganadaria Prudêncio, com pegas a cargo dos Grupos de Forcados Amadores de Lisboa e Caldas da Rainha.
CRÓNICA DA CORRIDA

Que me desculpem os Rouxinóis, esta noite foi sem sombra para dúvidas, dos aficionados! Quem venceu foi a nossa Festa! Três corridas na mesma zona, duas casas ao barrote e uma de três quartos, respetivamente nas Caldas da Rainha, Foz do Sizandro e na Nazaré. Após a lide do último exemplar da noite, na Praça de Toiros das Caldas da Rainha, todo o público que rondou a lotação máxima da mesma se manteve presente em pé para ovacionar todos os intervenientes da festa bem como palavras sentidas que soaram na praça 'Pela nossa Liberdade, pelas nossas tradições, pela nossa identidade cultural! Viva a Festa dos Toiros!' Momento arrepiante, tenho a dizer!

Voltando ao início, tenho de pedir desculpa aos Rouxinóis, pois foram deles as duas grandes lides desta noite amena. O patriarca da família enfrentou-se com o melhor toiro da corrida, recebeu-o com muita classe, em curto, nos médios do redondel. Para a sua faena de curtos, sacou o Douro deixando curtos de boa nota. Finalizou a sua atuação com o Antoñete, deixando dois palmitos, o primeiro dos quais de nota elevadíssima e um par de bandarilhas, muito do agrado do público presente. Do mais novo de Pegões, viu-se a melhor lide da noite. Teve como oponente um toiro sério, bem rematado de carnes e que evidenciou ligeira distração aquando da sua saída à arena Caldense. Bonitos cites, boa brega, bons pormenores de equitação, excelentes desenhos das sortes e uma cravagem com colocação en su sítio. Olé! Finalizou a sua aparição neste bonito tauródromo com uma rosa e um par de bandarilhas de execução irrepreensível.

João Moura que fora homenageado pela comemoração do 40º aniversário da sua alternativa, bem como homenageado foi o clube da Terra, o Caldas S.C. pelo feito alcançado na Taça de Portugal da época transacta, enfrentou-se com um toiro com uma investida pouco franca. Após deixar a ferragem comprida de forma regular, deixou dois ferros curtos de boa nota, com ligeira batida ao pitón contrário. Terminou com dois palmitos. Esta lide teve como ponto negativo a constante presença do peão de brega, João Ganhão, que preparou todas as sortes, limitando-se o maestro de Monforte a deixar a ferragem da ordem, facto que foi bastante comentado pelo cônclave presente. O mais novo da casa Moura abriu praça com uma sorte de gaiola que resultou eficaz. Enfrentou-se com um toiro preto bragado corrido, abastado de carnes, com pouca cara. Destaca-se da sua lide intermitente um bom segundo curto com batida ao pitón contrário. O seu oponente foi a menos com o passar do tempo, tendo o ginete Monfortense sentido mais dificuldades em deixar a ferragem da ordem, tendo-o conseguido com força e querer.

No que às lides equestres diz respeito, falta-nos falar dos cavaleiros da Torrinha. O pai António recebeu o seu exemplar de forma exímia. Após deixar compridos à tira, seguiu para uma faena de curtos com o Alcochete. Enfrentou um toiro com mobilidade que apertava nos remates das sortes. Deixou bom segundo e quarto curto ao estribo. Denotou boa brega. Para o fim estava guardada a lide do jovem amador António Telles filho. Teve como oponente um novilho reservado, todavia rematadinho da Casa Prudêncio. Acusou alguma falta de experiência e nervosismo durante a cravagem dos compridos, não apresentando mão certeira. Já na sua lide de curtos, foi bastante a mais, tendo deixado série de curtos de muito valor, o último dos quais a sesgo em terrenos de compromisso. Boa monta, mostrou muita raça, vontade e querer e o público entendeu isso e retribuiu calorosa ovação.

As pegas da noite estiveram a cargo de três formações, Lisboa, Moura e Caldas da Rainha. Pelos da capital pegaram Pedro Gil e João Varanda, pelos alentejanos pegaram Cláudio Pereira e Gonçalo Borges e pelos da terra, Lourenço Palha que executou um pegão e Francisco Esteves, todas elas ao primeiro intento.

Dirigiu com acerto o delegado técnico tauromáquico Francisco Calado, assessorado pelo Dr. Jorge Moreira da Silva e pelo cornetim José Henriques.

Meteorologia