• geral@touroeouro.com

Figueira da Foz - Um gosto cada vez maior...

  • 2018-08-05 06:07
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Realizou-se ontem à noite, no Coliseu Figueirense, uma corrida de touros com cartel composto pelos cavaleiros Rui Fernandes, João Telles Júnior e Francisco Palha, com toiros de Manuel Veiga.
As pegas estiveram por conta dos Grupos de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira e do Ribatejo.
A praça de touros da Figueira da Foz, registou cerca de meia entrada.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

As praças do centro e norte do país, são caracterizadas por um público dissemelhante dos demais e a elas, acorrem inúmeros emigrantes, que, por ironia de uma destino diferente, só nesta altura têm acesso a um espectáculo taurino.
Este dito público, que obviamente e contrariando alguns criticos que acham que o público deveria ter uma licenciatura em tauromaquia, pouco pode entender, mas muito gosta disto... isso basta para que a Festa, resulte mais descomprometida e decorra sob o signo disso mesmo, Festa!
A Figueira da Foz enquadra-se neste conceito da variedade de espectadores, mas atenção, também 'os' há entendidos na matéria e a miscelânia que daqui resulta, tem 'graça' faz com que uma ida ao Coliseu Figueirense seja um gosto!
Ao dito público da Figueira, ou parte dele, 'tanto faz' que ali actue o supra sumo da tauromaquia ou o iniciante da mesma, o que se quer, é espectáculo! Alheio a toda esta 'facilidade', esteve Ricardo Levesinho e a empresa, ao projectar para esta data, um cartel fortíssimo, digno de qualquer praça de grande responsabilidade. Rui Fernandes, João Telles Júnior e Francisco Palha, Forcados de Via Franca e Ribatejo, foram o elenco escolhido para tão 'grande' cartel, ao qual, lamentavelmente, o público não correspondeu como se desejaria. Meia casa forte, sendo este naipe de casa cheia...
O curro de toiros de Manuel Veiga, foi homogénio em apresentação, com trapio, mas distintos no jogo dado. Mais complicado o naipe de Rui Fernandes, mas, ainda assim a cumprir na generalidade.
Rui Fernandes brilhou sobretudo na segunda prestação. Depois dos compridos, brilhou com o Artista, fazendo um 'delicioso' balancé... o público ficou 'louco' com o cite, acompanhando-o com palmas... Bons curtos, com ritmo e alegria. Frente ao primero do seu lote, andou em crescendo.
João Telles Júnior esteve em noite 'agradável', ou mesmo, de boa nota. Bons curtos em ambas as actuações, fechando a segunda, com uma sorte que domina e que o público gosta de verdade, violinos. Três! Acompanhados de um palmo à meia volta.
No que concerne a Francisco Palha, os melhores momentos estiveram aliados à brega e às suas capacidades lidadoras, embrenhadas em classe e elegância. Houve bons curtos e um bom comprido em sorte de gaiola.
As pegas da noite, pertencentes ao grupo de Vila Franca, foram efectivadas por João Luz ao segundo intento, Guilherme Dotti, também à segunda tentativa e Pedro Silva, à primeira.
Pelos do Ribatejo, consumaram pegas, Nuno Amaro, concretizando à quarta muito aplaudida tentativa, Sérgio Carmo, à primeira e João Pedro Oliveira, à segunda.
O espectáculo foi dirigido com a costumeira elegância e sensibilidade, por Francisco Calado.