• geral@touroeouro.com

Moita – Os veteranos, os novos e… Francisco Palha e o renascimento do Aposento da Moita!

  • 2018-09-14 04:46
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


A Praça de Touros Daniel do Nascimento, na Moita, recebeu esta quinta-feira, 13 de Setembro, a ‘Corrida Maior’ da sua Feira Taurina.
Perante cerca de três quartos de lotação preenchida, destaque para a presentação de Francisco Palha e o triunfo dos Forcados do Aposento da Moita.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

Se algo pode dar errado, dará.’… Este é o princípio da Lei de Murphy e que serve exactamente em forma de antítese, para dizer, que se a Francisco Palha, algo pode dar certo, pois dará… e deu!

Na corrida de pais e filhos, apelidada de ‘Corrida de Dinastias’, Palha, Francisco Palha, foi mais que um filho adoptivo, foi quiçá o nome certo, na noite e espectáculos certos… Está por tudo e tudo com classe, arte, poderio e sobretudo, com uma elegância ‘revolucionária’…

Palha enfrentou-se com um quarto toiro, que como os demais Passanhas saídos à arena moitense, deu jogo complicado, embora a transmitir e a servir ao triunfo.

Andou magistral nos compridos, deixando dois ferros que a mal, não se levaria se tivessem motivado música imediata. A dita cuja, ou seja, a música, acabaria por tocar tardiamente, ou seja, depois de cravado o segundo curto, sendo que nesta altura, Francisco, tinha já dado um banho de pormenores de brega… Mas se a tudo isto, juntarmos as duas últimas bandarilhas, apelidem-se, de antologia, então temos aquilo a que se pode e deve chamar de um triunfo consistente e unânime.

Soberbo Palha!

Palha ‘deixou para trás’ as três actuações dos veteranos João Moura, António Telles e Luís Rouxinol. Menos efusivo andou o Maestro João Moura, a quem se homenageou no intervalo pela passagem do seu 40º aniversário de alternativa, descerrando-se uma placa evocativa da efeméride, nos corredores da Daniel do Nascimento.

Moura cumpriu, ‘andando’ de menos a mais, ‘crescendo’ apenas nos dois palmitos com que encerrou a função.

António Telles, cumpriu de boa forma a sua passagem por esta emblemática arena, lidando em tom crescente e com a mestria que lhe é costumeira, deixando curtos de boa nota.

Luís Rouxinol, esteve em plano elevado, andando bem desde a fase inicial da sua prestação, evoluindo nos curtos, enquanto montou o Douro, deixando boa nota da brega deste cavalo, em curtas distâncias, deixando importante ambiente para o palmo e par de bandarilhas com que pôs termo à lide.

Isto foi antes de Palha, e depois de Palha, saiu à arena para a lide do quinto, Miguel Moura, a quem as ‘coisas’ não correram de feição. A intenção de cravar o primeiro comprido em sorte de gaiola foi boa, mas, o mesmo resultou descaído e traseiro. Nos curtos, andou ‘algo desinspirado’, cravando as curtas com batidas ao piton contrário, sendo que no entanto, foram feitas com demasiada antecipação, fazendo com que as reuniões resultassem demasiados abertas. O palmito com que pôs termo à sua estadia na arena da Daniel do Nascimento, foi o mais destacado…

Luís Rouxinol foi o ‘jovem’ seguinte e sim, esteve bem, face à matéria-prima com que se defrontou, um dos Passanhas que menos transmitiu. Luís pôs tudo, andando regular na ferragem comprida e iniciais curtos, elevando o tom, nos derradeiros palmitos e muito bom par de bandarilhas.

A fechar as actuações equestres, António Telles filho.

O jovem cavaleiro amador, andou correcto, com alegria e até inspiração frente ao novilho de Passanha, que não complicou a vida ao mais novo da Torrinha.
Telles filho, deixou bandarilhas de franca boa nota, conquistando o conclave que o aplaudiu de pé.

A noite de toiros teve um rotundo ‘segundo’ triunfador… O Grupo de Forcados do Aposento da Moita, deu cartas e voltou a exibir o nível de tempos idos… Cinco pegas ao primeiro intento e uma ao segundo, pelos forcados José Maria Bettencourt (cabo), Marcos Prata, João Ventura, Leonardo Matias, Bernardo Cardoso, Martim Afonso de Carvalho. João Gomes consumou a última à terceira tentativa.

Regista-se a despedida dos forcados José Maria Ferreira e Bernardo Cardoso.

Os toiros da ganadaria Passanha cumpriram em apresentação, tendo entre si, comportamento dissemelhante.

Dirigiu Tiago Tavares, benevolente na atribuição de volta a Miguel Moura e exigente em demasia, na atribuição de música a Francisco Palha, assessorado, pelo médico veterinário, Jorge Moreira da Silva.

A Daniel do Nascimento, registou cerca de três quartos de entrada!

Meteorologia