• geral@touroeouro.com

Montijo - Tarde estóica do 'herói Suissas'

  • 2018-09-24 09:54
  • Autor: Rodrigo Viana


A Praça de Touros Amadeu Augusto dos Santos, no Montijo, recebeu este domingo, 23 de Setembro, a IV Corrida das Tertúlias.
Em praça estiveram os cavaleiros, João Ribeiro Telles, Francsico Palha e Luis Rouxinol Jr., estando as pegas a cargo dos Forcados da Tertúlia Tauromáquica do Montijo, Amadores do Montijo e Amadores de Tomar. Lidaram-se touros de Paulino da Cunha e Silva.
CRÓNICA DA CORRIDA

Foi uma tarde com temperaruras elevadíssimas que levaram a que o "Tira-Teimas Final" iniciasse às 17 horas em lugar das 16h30 anunciadas inicialmente. Vários motivos de interesse, começando pela competição entre três dos considerados triunfadores da temporada, passando pela competição entre três grupos de forcados e acabando na análise aos toiros de uma ganadaria pouco vista nos últimos anos.

Quem viu a corrida pode questionar-se da razão pela qual dou ênfase a um rapaz que efectua uma pega à quinta tentativa, a sesgo e com as ajudas carregadíssimas. Pois bem, este 'herói' de seu nome José Pedro Suissas pode vir a ser um dos melhores forcados a nível nacional, pois para além de toda a técnica, galhardia e raça que apresenta, tem uma humildade notável! Foram quatro duras tentativas, a citar bem, a carregar bem o oponente e a reunir na perfeição, aguentando depois duros derrotes. E nada se alterou, tentativa após tentativa. Nunca baixou a cabeça. Foi à quinta que consumou mas tarde estóica para este exemplo de forcado amador.

Já que comecei pela forcadagem, referir que ainda pelos amadores do Montijo efectuou pega, o forcado João Paulo Damásio ao bom primeiro intento. Pelos mais antigos em cartel, Tertúlia Tauromáquica do Montijo foram à cara Luís Carrilho, que saiu lesionado após a primeira tentativa, regressando na terceira para concretizar rija pega e ainda o cabo, Márcio Chapa, que efetivou ao terceiro intento. Pelo grupo que viajou desde Tomar, foram à cara Vasco Freitas que consumou pega ao primeiro intento, frente a um toiro que se encontrava muito debilitado e Hélder Parker, que venceu o prémio para a melhor pega da tarde, numa primeira tentativa em que citou como bem sabe, templou e mandou na investida do astado que teve por diante, fechando-se de braços e pernas, e após o toiro fugir ligeiramente ao grupo, concretizou com eficácia.

A parte equestre do festejo colocava frente a frente, três dos toureiros que mais se destacaram nesta temporada que já se aproxima do final. João Ribeiro Telles Jr enfrentou-se, inicialmente, com um astado que acusou 615 kg de peso e que foi o maior do festejo. Saiu bastante distraído, começando a romper apenas após a cravagem do terceiro comprido da ordem. Apertava bastante nos remates das sortes e pedia um toureio muito ligado, não facilitando a tarefa ao mais jovem de alternativa da família Telles.  Destaca-se nesta lide algo irregular, o segundo curto que resultou de uma reunião mais cingida. Frente ao que se seguiu ao intervalo teve aquela que, na minha opinião, é a lide mais 'limpa' da tarde. Uma série de curtos de elevada nota, com ligeira batida ao pitón contrário, sortes frontais e cravagem ao estribo de alto a baixo como está descrito nos manuais. Terminou a sua bela atuação com um ferro de violino.

Francisco Palha aparecia na Monumental Amadeu Augusto dos Santos com um grande peso nas suas costas. É indiscutível o grande nível que tem apresentado ao longo da temporada e a verdade é que hoje não foi a sua tarde. Frente ao segundo da ordem, apresentou intermitência, isto é, tanto teve momentos em que pareceu não entender os terrenos da rês que lhe tocou em sorte, passando em falso, como deixou dois grandes curtos, que considero os melhores da corrida. Frente ao quinto, que era bruto e apresentava muitas reservas, Francisco não conseguiu atingir o nível a que nos tem habituado, deixando apenas como destaque um ferro de bastante compromisso, com o toiro encostado em tábuas, tendo o ginete carregado e cravado, em reunião cingida, bem ao estribo.

Fechava o cartel um cavaleiro natural do Concelho do Montijo. É de Pegões o ginete que venceu o prémio para a melhor lide, tendo sido considerado pela prestação global nas suas duas lides da tarde. Após brindar ao conclave presente, iniciou com dois bons compridos, seguindo para a fase de curtos com o Douro, que como já sabemos, exibe brega de alta qualidade. Destaca-se um segundo curto de boa nota, frente a um astado nobre, que com o passar do tempo de lide, denotou alguma falta de força. Encerrou a corrida frente ao melhor astado do curro de Herds. Paulino da Cunha e Silva, que tiveram apresentação irrepreensível, sendo desiguais em comportamento. O toiro saiu com pata dos currais, perseguindo a montada com afinco. Luís André exibiu boa monta, boas preparações das sortes sendo as reuniões cingidas, ficando a ferragem ligeiramente traseira. O toiro arrancava-se de qualquer lado permitindo ao ginete todo o luzimento. Ao quarto curto levou forte toque na montada, não resultando daí qualquer consequência de relevo. O sangue ferveu ligeiramente, terminando com alegria, deixando um par de bandarilhas de grande nota e um palmito 'al violín'.

Dirigiu a corrida, que contou com cerca de um terço da sua lotação preenchida, o Sr. Tiago Tavares, coadjuvado pelo Dr.Jorge Moreira da Silva e pelo cornetim, Ricardo Fernandes.