• geral@touroeouro.com

Vila Franca – ‘Ferreiras’ triunfam… e una mirada…

  • 2018-10-01 00:08
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


A Praça de Touros Palha Blanco, em Vila Franca de Xira, recebeu este domingo, 30 de Setembro, a corrida comemorativa do seu 117º aniversário.
Lidaram-se touros de David Ribeiro Telles, a cavalo actuaram João Moura Jr. e João Ribeiro Telles, e os matadores, António João Ferreira e Nuno Casquinha. Pegaram os Forcados Amadores de Santarém e Amadores de Vila Franca de Xira.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

Continuo a assumir a minha admiração por Vila Franca…

Vila Franca e a sua Palha Blanco, continuam com um nível invejável no que a exigência e seriedade diz respeito…

Vila Franca MANDA tocar a música, manda parar, MANDA no toiro, MANDA…!

O Director de Corrida ‘treme’ sem saber se as suas decisões são as mais acertadas, os artistas ‘tremem’ sem saber se os seus labores serão bem aceites pelo conclave… É assim, um público que não é apenas ‘rezingão’, mas que tem também a capacidade de acarinhar e agraciar os grandes momentos!

Vila Franca tem identidade e isso nota-se a cada tarde ali vivida.

Vila Franca tem uma ‘mirada’ implacável sobre os artistas, forcados, toiros, mas assim deve ser… Nunca poderão ser os toureiros, a querer que a sua ‘mirada’ seja implacável para com os críticos. Por mim falo, jamais a ‘mirada’ de um toureiro me intimidará ou abalará nos que às minhas convicções concerne… Guardem-nas nos confins da alma e assim ficamos!

A cavalo, defrontavam-se João Moura Júnior e João Telles Júnior. Confronto antigo que hoje, em Vila Franca, não vingou. Moura Júnior teve por diante um primeiro toiro, em comportamento semelhante ao segundo do lote de Telles. Impossível triunfar quando o público não dá importância ao toiro e assim foi…

Como segundo do seu lote, Moura Júnior teve por diante um toiro premiado com volta à arena dos seus criadores. Esteve bem, sem deslumbrar, destacando-se no segundo comprido e penúltimo curto. Telles, frente ao primeiro do seu lote, andou, em timbre regular, com um ou outro curtos de nota muito positiva, sem que no entanto o registo se mantivesse ao mesmo nível durante toda a sua prestação.

Sensação parda depois de findas as prestações equestres.

As pegas estiveram por conta dos Amadores de Santarém e Vila Franca.

Por Santarém, efectivaram pega aos primeiros intentos, António Góis e António Taurino, por Vila Franca, consumaram pegas ao terceiro intento, Pedro Silva e ao primeiro, David Moreira.

O toureio a pé mexeu com a alma empobrecida até ali… António João Ferreira, foi autor de uma primeira prestação de elevadíssimo nível. Toureio fino, toureio com ‘templanza’, toureio com ligação, com arte, com tudo… bem de capote, bem nos quites, bem em tudo o que fez no primeiro do seu lote, numa faena baseada no pitón esquerdo.

A segunda prestação de Ferreira viu-se condicionada pela ausência total de matéria-prima…

Nuno Casquinha andou bem frente ao seu lote de toiros.  Bem, no seu conceito de toureio, de técnica… quanto ao resto…

Bem a bandarilhar, bem de capote, variado, com ‘mucha plaza’ e pronto!

Quem triunfou, foi Ferreira!

Outro triunfo… e de outro Ferreira. Os pares de João Ferreira ao segundo do lote do seu irmão, foram de antologia. Que hino à arte de bandarilhar… Saudou ‘montera en mano’, tal como Joaquim Oliveira e João Martins.

Os toiros de David Ribeiro Telles, estiveram bem apresentados à excepção do sexto, com trapio mais escasso que os anteriores e exibiram dissemelhantes comportamentos.

Dirigiu com alguns aparentes ‘receios’, João Cantinho, assessorado, pelo médico veterinário, Jorge Moreira da Silva, tendo a Palha Blanco registado um terço de entrada, com maior incidência nos sectores de sombra…

Meteorologia