• geral@touroeouro.com

Finanças espanholas processam Miguel Ángel Perera por fraude fiscal

  • 2019-01-03 21:46
  • Autor da Foto: D.R.


Acusado de delito fiscal no valor de mais de 1 milhão de Euros

Os factos remontam aos anos 2008 e 2009 e à fase mais dourada da carreira do matador de toiros espanhol, Miguel Ángel Perera.

A Hacienda, ou seja, a autoridade tributária espanhola, fez transitar para os tribunais, o suposto delito cometido pelo diestro de Villafranca de los Barros (Badajoz), que ascende a um milhão e seiscentos mil euros.

Diz a acusão, fruto de uma investigação feita desde o ano 2013, que Perera, cobrava os seus cachets através da sua empresa Pertaurus. Segundo o relato da Hacienda, o diestro cobrou 3,32 milhões de euros em apenas duas temporadas, fruto das suas actuações em 160 espectáculos. A incoerência, é que a Pertaurus, empresa com ramo de actividade declarado 'organização, contratação e execução de corridas de touros e de rejoneo', não facturou, nem declarou absolutamente nada, defraudando o estado espanhol numa cifra estimada de 650 mil euros, em 2008 e 950 mil euros, em 2009.

O caso foi levado com muita descrição sobretudo pelos administrativos de Villafranca de Los Barros, sendo que a 12 de Janeiro de 2018, tornou-se efectivo, contando com apoio de inúmeros agentes da festa, como empresários diversos, que testemunharam já a favor do toureiro extremeño.

Os advogados de defesa de Perera, tentam agora que o caso saia da via judicial, passando a tratar-se do caso apenas e só pela via administrativa.
Casos similares, foram já verificados com actores, cantores e até desportistas, não sendo Perera o único a ter desconhecimento (segundo a sua defesa) de que estava a incorrer num incumprimento gravoso.