Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Provedor da Santa Casa de Almeirim salienta que, ‘Almeirim tem agora um espaço multiusos de excelência…

  • 2019-03-07 23:34


O Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Almeirim (SCMA), Dr. José Carmo Lobo de Vasconcellos, era esta quinta-feira, um homem feliz e orgulhoso, aquando da apresentação da Arena de Almeirim, um renovado espaço em Almeirim, que além de manter a Praça de Touros, deixa a cidade com um espaço multiusos de excelência e virado para o século XXI.

O TouroeOuro procurou saber junto do Provedor da SCMA quais são as expectativas para esta 'nova vida' do tauródromo de Almeirim, bem como os planos que se encontram já delineados para este ano.

TouroeOuro (TeO) – Tem hoje início a ‘Arena de Almeirim’ século XXI…

José Carmo Lobo de Vasconcellos (JCLV) – ‘Lançamos uma nova estrutura na cidade, que é a Arena de Almeirim.
Como disse durante a apresentação, vai ser utilizada não só para espectáculos tauromáquicos, mas vamos dar também outra utilização a uma estrutura que estava em condições que não eram as melhores, estava um bocadinho ‘ cansada’, e procuramos melhorar, actualizar, e vai agora ser uma estrutura que vai ser muito interessante para a cidade e para a actividade económica da cidade…’

TeO – Sendo esta uma das praças mais importantes do Ribatejo e de Portugal, a verdade é que nos últimos anos tem sofrido algum declínio, sentem que estas obras vão servir para recolocar a Arena de Almeirim no patamar de outros tempos, sobretudo nos tempos antes da crise, em que fruto até de alguma sobrevalorização por parte dos empresários, as Santa Casa tinham nas Praças de Touros também uma fonte de receita…

JCLV – ‘Eu acho que o declínio não foi exclusivo da Praça de Almeirim, eu acho que a festa em si estava a precisar de uma renovação, e como disse e bem, a crise teve uma importância nesse declínio que eu acho que está ultrapassado… há imensa affición, nós notamos que as pessoas voltaram a ter interesse numa actividade e numa tradição muito nossa, as corridas de toiros, e nós não podíamos deixar esta praça cair, precisávamos de a renovar, só que temos a noção que não pode ser exclusivamente utilizada para os espectáculos tauromáquicos ou taurinos e portanto pensamos e desejamos que fosse uma estrutura que fosse utilizada para outras coisas além disso…’

TeO – A cobertura será o próximo passo?

JCLV – ‘A cobertura é uma estrutura muito cara, mas vamos ver como corre agora… esperamos que corra bem, investimos quase oitocentos mil euros nesta reestruturação da praça, e agora a Misericórdia não tem fundos, nós não somos a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, somos a Santa Casa da Misericórdia de Almeirim, e temos uma dimensão completamente diferente, o nosso foco principal são as pessoas que estão ao nosso cuidado, sejam as crianças, sejam os mais velhos e portanto temos que gerir bem. Estas estruturas terão que ser também utilizadas de modo a obter resultados que nos permitam continuar com a nossa obra social, mas obviamente que não queremos abandonar as nossas estruturas e a verdade é que a maior parte dos nossos utentes gosta também dos espectáculos taurinos, o que é também uma maneira de lhe darmos uma maior alegria…’

TeO – Pode a Santa Casa da Misericórdia de Almeirim ter aqui dado o passo para que outros proprietários melhorem as suas Praças de Touros e as tornem multifuncionais?

JCLV – ‘Espero que sim, nós arriscamos e fomos em frente, nós não podemos é parar e não podemos deixar que as coisas que estão ao nosso cargo se deteriorem, e portanto foi o que nós fizemos, e esperamos que seja um bom inicio de uma nova época e que isso possa entusiasmar outros a tomar o mesmo tipo de acção para com as praças que possuem…’