Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Simplesmente... Ricardo Chibanga!

  • 2019-04-17 13:23
  • Autor da Foto: D.R.


8 de Novembro de 1942 - 16 de Abril de 2019

Ricardo Paulo Chibanga!
Matador de toiros de reconhecido mérito e prestígio, é hoje sepultado, tendo partido, aos 76 anos de idade, vítima de um acidente vascular cerebral.

Ricardo Chibanga, foi o nome utilizado sempre que se anunciava em cartazes taurinos, como matador de toiros, patamar ao qual chegou, sobretudo por sua insistência e mérito ao serviço da tauromaquia.

Chibanga, nasceu em Lourenço Marques, Moçambique, estavam oito dias passados do mês de Novembro de 1942.

O gosto pela tauromaquia, nunca soube explicar, o que sim sabia o jovem menino, era que ficava embevecido quando via nas imediações da Praça de Touros de Lourenço Marques, os trajes de luces dos matadores de toiros que ali actuavam, em especial, Manuel dos Santos.

O deslumbramento por esta arte, foi-se agudizando com o passar dos anos e dele falava a todos quantos podia, sobretudo às pessoas influentes… Com o forte desejo de ser mais que espectador da arte de tourear, houve quem reparasse no jovem menino. O Almirante Sarmento Rodrigues, Alfredo Ovelha e o embolador Fernando Pinheiro, foram algumas dessas pessoas a quem o gosto de Chibanga não passou indiferente. Alfredo Ovelha, chegou mesmo a apresentar Chibanga a Manuel dos Santos, quem prometeu ajudar o moçambicano que por sua vez, tinha como forte objectivo ajudar a sua família.

Ironia do destino e das voltas que o mundo dá, Ricardo Chibanga, acabaria por se radicar na Golegã, onde frequentou a Escola Patrício Cecílio.

A sua qualidade, levaram-no a prestar provas para novilheiro praticante. Dia 5 de Abril de 1964, no Campo Pequeno.

Em 1966, integra uma digressão a Macau, onde alterna com um dos seus ídolos. Manuel dos Santos e ainda José Júlio.

O seu debute com picadores, acontece na Praça de Touros espanhola de San Sebastián de los Reyes, no ano de 1967. Chibanga deu nas vistas, cortando duas orelhas a novilhos da ganadaria de Apolinario Soriano.

Muitas praças, muitos países taurinos, mas, um dos grandes marcos, acontece no ano de 1969, na Indonésia, onde actuou para 100 mil pessoas, tendo como palco, um estádio de futebol.

Em 1970 debuta em Madrid, Las Ventas, ainda como novilheiro…

A alternativa, chegaria um ano depois, numa das mais prestigiadas e prestigiantes praças de touros do mundo, a Real Maestranza de Caballería de Sevilla.

15 de Agosto foi a data escolhida para tão importante dia, sendo que teve como padrinho, António Bienvenida e como testemunha Rafael Torres. Lidou toiros de António Perez Angoso.

A confirmação de alternativa, em Madrid, seria no dia 14 de Abril de 1974, tendo como padrinho, Agapito Sanchéz Bejerano e testemunha, Gregório Lalanda.

Muitos êxitos, muitas cornadas e uma vida de afición e com a tauromaquia sempre por perto.

A sua simplicidade, fizeram de si, uma pessoa querida por todos, e todos gostavam de Ricardo Chibanga, o primeiro toureiro africano e o único português que se doutorou em Sevilha.

Ricardo Chibanga, morreu ontem, em sua casa, na Golegã. Na sua Golegã!

 

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0