• geral@touroeouro.com

Almeirim – Telles triunfam destacadamente!

  • 2019-05-01 22:08
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Reinaugurou-se hoje, em Almeirim, a Praça de Touros local.
Em cartel, João Moura, António Telles, Luís Rouxinol, João Moura Júnior, Luís Rouxinol Júnior e Telles filho, sendo as pegas de um curro de toiros de Vale Sorraia, consumadas pelos Grupos de Forcados Amadores de Santarém e Aposento da Moita.
A Arena D'Almeirim, registou três quartos fortes de entrada.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO (COM VÍDEO)

Um confronto de dinastias, foi o cartel projectado para a reinauguração da Praça de Touros de Almeirim, agora denominada por Arena D’Almeirim.

Dia de festa na localidade ribatejana, e reforço absoluto à tauromaquia. Praça praticamente cheia, num dia soalheiro e típico de verão.

Seis touros de Vale Sorraia, tauródromo bonito, agradável à vista, mas, piso pesado, e ausência de um minuto de silêncio em memória de Duarte Chaparreiro, por ser, obviamente, a praça da sua terra… sensibilidade precisa-se, pormenores também…

Percamos tempo noutras questiúnculas e vão-se perdendo, os detalhes que realmente importam…

João Moura abriu as hostilidades de forma correcta e nesse registo se manteve. Enfrentou o astado com menor mobilidade, mas, serviu a uma actuação coerente.

Luís Rouxinol, andou como sabe, ou seja, bem! Lidou em curtos, com o Douro e com ele cravou um bom par de bandarilhas. Rouxinol brilhou sobretudo na brega vistosa proporcionada por esta montada.

Moura Júnior andou em tarde agradável, com batidas ao piton contrário, embora nem todas a proporcionar reuniões tão cingidas quanto seria desejável. O penúltimo curto, foi ainda assim de grande mérito.

Rouxinol Júnior recebeu o oponente, cravando o primeiro comprido em sorte de gaiola. Grande momento do jovem ginete, sendo que, a maioria das bandarilhas cravadas, foram a preceito e como mandam as regras. Rouxinol Júnior arriscou em cravar um par de bandarilhas, o que viria a concretizar-se à terceira tentativa.

Por último, mas os primeiros em triunfo. Dinastia Telles. Que soberba actuação de António Telles, onde o único reparo foi o segundo comprido, em forma de ‘bajonazo’. Tudo o resto, foi um compêndio de arte, um eclipse total… metaforizando.

Curtos de parar o relógio, com execução perfeita.

Seu filho António, seguiu ‘pegadas na areia’ de seu pai e desenvolveu uma prestação de luxo, a deixar antever um futuro promissor.

No ramo da forcadagem, dois grupos de renome. Santarém e Aposento da Moita, em grandes exibições encabeçadas, por (por ordem): Francisco Paulos, Leonardo Mathias, Salvador Ribeiro, Salvador Pinto Coelho, Rúben Giovetti e João Gomes.

O festejo foi dirigido por Marco Cardoso, assessorado pelo médico veterinário, José Luís Cruz.