Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

João Telles - Príncipe de Coruche

  • 2019-06-02 21:37
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


João Telles, encerrou-se com seis touros na Praça de Touros de Coruche.
Dois terços de entrada (fortes), e uma saída em ombros por parte do toureiro, ao lidar seis touros (de distintas ganadarias) em solitário.
As pegas estiveram a cargo dos Amadores de Montemor e Coruche.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO (COM FOTOS E VÍDEO)

Não sabíamos se era ou não o melhor momento, não sabíamos como iria correr em termos artísticos e muito menos, saberíamos como seria a entrada de público nesta tarde de Domingo… João Telles, propôs-se a lidar seis touros e por si só, a crença de projecção de carreira, era facto admirável.

Seis touros de distintas ganadarias, com encastes diferentes e previsivelmente, comportamentos dissemelhantes, que, segundo a perspectiva de Telles, tiveram lides adequadas, dentro daquele que é o seu conceito artístico.

Lidaram-se, por esta ordem, touros de Palha, Maria Guiomar Cortes de Moura, Grave, Vale Sorraia, Passanha e David Ribeiro Telles…

Seis casacas diferentes, dando primazia à imagem e lavagem de vista, mas, sobretudo, houve momentos emotivos, como a aparição do seu cavalo Ojeda, o tal que o ensinou quando era miúdo…

Outros dos momentos de destaque, foi a lide do quarto da ordem, em que Telles Júnior convidou o seu tio e primo a lidar consigo o toiro da ‘casa’. Bem de verdade, os três! Grande actuação conjunta em que cada um, brilhou à sua maneira, com os seus cunhos pessoais.

No seu conjunto, descritas no DIRECTO do TouroeOuro, houve duas lides de importância e que se destacaram por entre outros… a lide do Guiomar, em que Telles se recriou… A lide última, em que o Ilusionista esteve de escândalo, com ferros de bradar aos céus, sendo o último, um verdadeiro hino…

Telles Júnior com Coruche a seus pés, menos quando tentou inovar, dando passes de muleta a cavalo… Uns ‘pitos’ por outros, mas… conservadorismo a mais, chateia…

História contada, tarde agradável, com grandes momentos e prova superada com galhardia.

Bem de verdade… Saindo a ombros com justiça.

As pegas, foram enormes… Algumas sim, verdadeiramente enormes. A primeira, a cargo de João da Câmara, do Grupo de Montemor, foi boa homenagem ao 80º aniversário do grupo.

As restantes, foram consumadas por Vasco Ponce e Francisco Borges, ao primeiro intento.

Pelos Amadores de Coruche, foram na linha da frente, os forcados João Prates, efectivando ao segundo intento, Fábio Casinhas, à primeira tentativa e António Tomás, também à primeira.

Dirigiu o Delegado Técnico Tauromáquico Agostinho Borges, um festejo com cerca de dois terços de entrada, muito calor e expectativa.

Telles Júnior, foi (se já não o era), coroado, príncipe de Coruche.