Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Nazaré - Valeu a primeira parte...!

  • 2019-08-04 04:07
  • Autor: João Dinis
  • Autor da Foto: João Dinis


Com cerca de três quartos de entrada, realizou-se na Nazaré, a segunda corrida da temporada naquele tauródromo.
A Corrida do Correio da Manhã Centro, teve cartel composto pelas cavaleiras Sónia Matias, Ana Batista, Ana Rita, Cláudia Almeida, Verónica Cabaço e Soraia Costa, com pegas a cargo dos Grupos de Forcados Amadores do Ribatejo, Portalegre e Caldas da Rainha.
Lidou-se um curro de toiros da ganadaria Passanha.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

A Praça de Touros do Sítio da Nazaré recebeu este sábado, 3 de Agosto, o segundo espectáculo da sua temporada de Verão, a Corrida Correio da Manhã Centro, com um cartel muito do agrado dos aficionados que por esta altura do ano se encontram nas praças do centro norte do país. Cartel composto por seis cavaleiras e um misto de estilos e experiência.

Convém ressalvar um detalhe bastante importante. Embora o público da Nazaré acarinhe de sobremaneira os toureiros, não convém entrar em exageros e jogar com esse factor para que as lides possam resultar mais aliviadas.

Num espectáculo com duas partes bem distintas, destaque sem dúvida para a primeira delas.
Três cavaleiras com maior experiência, e sobretudo a marcarem a sua posição enquanto figuras do escalafón.

Abriu a corrida Sónia Matias, frente aquele que se veio a revelar o ‘menos bom’ da corrida, mas a que a garra e experiência da cavaleira fizeram com que desse a volta à papeleta.
Sónia goza de um ambiente único da Nazaré, e isso sentiu-se de início a fim da lide. Com o touro a carregar forte sobre a cavaleira, Sónia aguentou a sua montada, e cravou dois compridos regulares, destacando-se depois, numa boa série de ferros curtos.
Com o touro a vir a menos, a toureira pede mais um ferro e acabou por estender em demasia a sua actuação.

Ana Batista lidou o segundo Passanha da noite, que lhe permitiu realizar uma boa lide, dentro do seu estilo clássico.
Com o touro a ‘esperar’ no momento da reunião, Ana Batista teve que pisar terrenos de compromisso, deixando uma boa série de ferros curtos.
O labor da cavaleira foi reconhecido pelo público, que lhe tributou fortes ovações.

A terceira cavaleira do cartel está ‘pouco vista’ em Portugal, e foi à Nazaré com ganas de demonstrar que ‘por cá’ também merece oportunidades.
Notou-se, talvez até em demasia, a rodagem espanhola, com Ana Rita a realizar bastantes ‘números’, ainda que tenha deixando dois curtos de excelente nota. Terminou a sua actuação com um aplaudido ferro em sorte de violino.

A segunda parte do espectáculo ficou reservada às cavaleiras mais novas, e de uma forma muito global, poderíamos dizer que o futuro do toureio a cavalo deverá ser repensado, pelas ginetes. Não basta correr para o público a pedir palmas, que na Nazaré até são ‘fáceis’, o público está ali para se divertir, mas há que assumir sempre o compromisso.

Cláudia Almeida colocou a ferragem da ordem, depois dos bandarilheiros realizarem o trabalho da lide. Os bandarilheiros colocavam o toiro e a jovem cravava os ferros.

A Verónica  Cabaço notou-se escassez de ‘praça’. O ‘Passanha’ era bom, e teria permitido uma lide diferente. Terminou a sua actuação com um ferro em sorte de violino.

A única cavaleira praticante do cartel, Soraia Costa, realizou uma lide ritmada e em constante conexão com o público. Apesar de nem sempre as cravagens correrem na perfeição, houve destaque para a última bandarilha curta.

No campo dos Forcados, um início e fim de noite complicado.
Pelo Grupo do Ribatejo, após uma primeira intervenção, em que o touro acabou por ser ‘agarrado’, após quatro tentativas e mais um par de entradas de cernelha, com um dos forcados a ficar inanimado na arena, o segundo touro do lote dos Amadores do Ribatejo, foi pegado pelo cabo Pedro Espinheira, ao primeiro intento.

Pelos Amadores de Portalegre, Ricardo Almeida pegou ao seu segundo intento, após duas tentativas iniciais de Rui Pombo e Marco Raimundo efectivou à primeira tentativa.

Os Amadores das Caldas da Rainha tiveram como caras, Francisco Esteves, que pegou à segunda tentativa e Duarte Palha, que após uma primeira tentativa, viu o touro inutilizar-se, não podendo por isso repetir intento.

Destaque para um bom curro de touros da ganadaria Passanha, numa corrida que foi dirigida por Ana Pimenta, com um largo critério na atribuição de música, assessorada pela veterinária Ana Gomes, com a Praça de Touros do Sítio a registar cerca de três quartos de entrada.