Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Ronda - Maduro Fernandes, Poderoso Ventura e a Vontade de Romero

  • 2019-09-01 23:15
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Realizou-se na tarde de Domingo, ao primeiro dia do mês de Setembro, uma corrida de touros com elenco composto por Rui Fernandes, Diego Ventura e Andrés Romero.
O palco, claro está, a Real Maestranza de Caballería de Ronda, com toiros de Benitez Cubero.
A Praça de Touros de Ronda, registou cerca de dois terços de entrada, com a terna a saír a ombros pela Porta Grande.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA

A faena de Morante ao segundo do seu lote e a o faenão de aguado ao toiro sobrero, ambos de Juan Pedro Domecq, estavam ainda na retina quando a Real Maestranza de Caballería de Ronda voltou a abrir portas para receber a XXXVIII Corrida de Rejones Goyesca.
Com menos adeptos que o dia anterior, mas ainda assim a registar dois terços de entrada, a terna brindou-nos com um grande festejo, com toiros de boa apresentação e na generalidade com bom jogo, da ganadaria de Benítez Cubero, o primeiro, de resto ovacionado no arraste.

A nota dominante, poderia bem ser descrita numa frase curta: maduro Fernandes, poderoso Ventura e a vontade de Romero.

Rui Fernandes abriu praça, lidando um toiro muito voluntarioso, com 'teclas' de bravo... Fernandes, está cada vez mais, porque o é há muito tempo, um toureiro maduro, com soluções e dono dos acontecimentos. Depois de dois rojões de castigo, cravou três curtas montando o El Dourado, bregando a duas pistas, com fulgor. Depois sacou o Belíssimo e ainda o Izai. Faena completa e não fosse o rojão de morte, pelo menos um troféu seria seu.
Frente ao segundo, quiçá menos 'expansivo', Fernandes pôs tudo em completa perseguição de uma Porta Grande que bem conhece. Foi sua, com o corte de duas orelhas. Um rojão e bandarilhas com o H-Quiebro, para seguir em crescendo com o Artista e o seu cite balanceado. Morte efectiva e o justíssima saída em ombros assegurada.
Fernandes, brindou a lide e morte deste toiro a Andrés Romero, bem como havia já feito, Diego Ventura.

Diego Ventura actuou na sua 'Andaluzia' e com disposição... Depois de bem receber o oponente, saca o Lío e com ele, arma o Lío. Três 'penaltis' de escândalo, com pronunciada batida ao pitón contrário. Toiro com escassez de força, mas a aguentar ainda o grande Nazarí por diante e a sua inigualável brega a duas pistas. Terminou com o remate, palmitos e estocada inteira, para o corte de uma orelha, com forte petição da segunda.
Frente ao segundo do seu lote, outro 'lío' mas desta feita com o Fino. Soberbos ferros, a que se seguiu o recital de Dollar e dois pares de bandarilhas sem cabeçada. Volta o Remate e claro, estoconazo, com o corte de dois troféus.

Andrés Romero, apresentou-se em Ronda, vindo da terrível colhida vivida no Puerto de Santa Maria. As oportunidades únicas não se desperdiçam e bem Romero, fiel ao seu conceito, variado e alegre, comunicativo e dono de uma vontade impressionantes. No primeiro sacou o Montes e o Guajiro, no segundo, um toiro mais manejável e de melhor investida, brilhou com o Caimán, estrela da sua quadra.
Foi rotundo a matar, sendo que o público reconheceu o seu esforço, concedendo-lhe uma orelha do primeiro e duas do segundo.

Assim sendo, Goyescas de luxo, num ambiente inolvidável, com seriedade e a mística de Ronda, a fazer crer, que a arte por 'encima de todo', mais que quaisquer outros valores...

 

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0