Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Julián Alonso esclarece que ‘Pedro Penedo não foi profissional com a Ana Rita’

  • 2019-09-09 19:08
  • Autor da Foto: D.R.


Após a notícia de que a cavaleira Ana Rita se havia recusado a lidar os touros da ganadaria João Ramalho, que estão agora anunciados pela empresa, para a Corrida de dia 21 de Setembro, na Praça de Touros da Azambuja, de acordo com comunicado da empresa, o apoderado da ginete, o espanhol Julián Alonso, contactou o TouroeOuro, de modo a esclarecer toda a polémica, e salientando, que a Ana Rita não se nega a tourear nenhuma ganadaria, não pode é pactuar com faltas de profissionalismo e de respeito.

Julián Alonso começou por afirmar que, ‘o Senhor Pedro Penedo não foi profissional, pode ser um grande profissional na venda de tractores, mas no toureio não o é…’ e passou a explicar a sua versão dos factos, ‘fui contactado pelo Senhor Pedro Penedo, em representação da empresa, para actuar na corrida da Azambuja, onde seria lidado um curro de touros da ganadaria São Marcos, tendo mesmo enviado, via Whatsapp as fotografias dos touros que seriam lidados, o que nos pareceu muito bem e demos o ‘ok’ para a corrida, quando de repente, e sem ninguém nos contactar vimos que os touros tinham sido alterados para os da ganadaria João Ramalho, e claro que não podemos pactuar com estas faltas de respeito, o Senhor Pedro Penedo, enquanto representante da empresa, faltou ao respeito à toureira que represento e a mim, pois para mim a palavra ainda conta, se assim não fosse teria enviado logo um contrato à empresa, mas o contrato que tínhamos era de palavra!’, salienta.

‘A Ana Rita não tem problema em tourear nenhuma ganadaria ou nenhum encaste, tem lidado de tudo, sem qualquer problema, agora o que não pode é pactuar com gente pouco profissional e que não sei qual é o papel que fazem, mas sérios comigo não foram’, conclui esclarecendo que o ‘Caso Azambuja’, não passou por uma nega da cavaleira Ana Rita a lidar os touros da ganadaria João Ramalho, mas sim por uma quebra do que havia sido contratado, sem este ter conhecimento prévio.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0