Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Primeira da Moita - Ferrera emociona na Moita!

  • 2019-09-11 03:06
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Ferrera sai em ombros pela Porta Grande
Realizou-se na Moita, na Praça de Touros Daniel do Nascimento, o primeiro dos quatro espectáculos agendados para a sua Feira Taurina 2019.
Em cartel, festejo misto, com as presenças de João Ribeiro Telles, Forcados Amadores da Moita, Antonio Ferrera e Ginés Marín, com toiros de David Ribeiro Telles.
A Corrida do Município, registou uma entrada que rondou os dois terços de lotação preenchida.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

Dou o meu braço a torcer e hoje sim, dou razão à minha mãe… Temos toneladas de coisas em comum, mas definitivamente, não afinávamos nos gostos dos toureiros… Possivelmente, continuaremos a não afinar… isto do toureio é assim mesmo, cada um sente à sua maneira e não dá para fazer de conta que se sente aquele arrepio, se não se o sente; não dá para fazer de conta que se deita aquela lágrima, se não se ela não cai…

Hoje, dei a minha mão à palmatória e mesmo que não seja como minha mãe, fã de Antonio Ferrera, percebo que tinha razão quando dizia que este toureiro, que conhecemos ainda em condição de novilheiro e cuja alternativa vimos receber em Olivenza, tinha de facto potencialidades para evoluir…

Pena mãe que não viste hoje… Irias dizer-me que tinhas razão!

Antonio Ferrera está um toureiro diferente, sobretudo depois do seu ressurgimento nas arenas, depois do seu prolongado afastamento devido a lesão. Os mais sonoros triunfos, aparecem agora, na sua condição de toureiro maduro.

A obra de arte feita ao segundo do seu lote, manejável mas sem condição de bravura aplaudível, é daquelas coisas, que se a memória não nos atraiçoar, podemos e devemos recordar por muitos anos.

Faena longa, mas de muitíssimos quilates. Variedade de passes, em séries intermináveis, com temple e cadencia. Houve de tudo, e de tudo pela direita e pela esquerda, numa arte pinturera, ao som de Virgen de Macarena. Ferrera, dono dos acontecimentos, nem isso deixou passar, aplaudindo também ele, o desempenho da banda.

Tudo foram detalhes, pormenores vindos de um corpo vestindo de azul turquesa e ouro, de um toureiro que nos pareceu em paz com a sua condição.

Porta grande e saída em ombros… emoção e sentimento de um espanhol muito luso, e de gentes que souberam sentir e desfrutar do seu toureio.

A Moita e a Daniel do Nascimento é isto, a praça que valoriza os toureiros artistas, a praça que não ‘pita’ má apresentação de touros e a praça, que leva a ombros os predestinados.

O primeiro lidado pelo espada de Villafranca de los Barros, não era de aplausos, muito pelo contrário. Pouca cara, feiote e de jogo ao mesmo nível. Ferrera deu um ‘cheirinho’, mas é do segundo que todos falarão.

De capote andou magnifico…

Ferrera alternou com Ginés Marín, neste primeiro espectáculo da Feira Taurina da Moita.

Toureiro gélido, com qualquer coisa ainda por definir, passou sem história frente ao primeiro, dando sim, ‘ar de graça’ no segundo. Depois de lancear à Verónica, desenhou interessante faena, mas, quiçá menos comunicativa que a de Ferrera e por isso, menos vistosa…

João  Ribeiro Telles foi autor do outro grande momento do festejo moitense. Bem no primeiro, brilhando sobretudo na brega ladeada, deu nas vistas, nos dois últimos ferros da sua segunda prestação. O ‘ilusionista’ transcendeu-se, sendo com esta montada que cravou os dois grandes ‘golos’ da sua passagem pela Daniel Nascimento. Citou de largo, desafiou o oponente, reuniu a preceito e cravou de alto a baixo, levantando de imediato todo o público dos seus lugares.

Ferros de antologia, a encerrar uma prestação com início mais irregular, mas, do que rezará a história, são estes dois hinos… a merecer duas voltas à arena.

Este toiro de David Ribeiro Telles, foi dissemelhante dos restantes, em trapio, em qualidade e em transmissão, sendo premiado com a permissão de volta à arena.

As duas pegas e únicas da noite, estiveram por conta do Grupo de Forcados Amadores da Moita.

A primeira pega, foi consumada sem dificuldade, ao primeiro intento, pelo forcado David Solo, e a segunda, ao segundo intento, por Fábio Silva. Rija pega, bem coadjuvada pelo seu primeiro ajuda, com quem foi chamado a dar duas voltas à arena.

Começou da melhor forma, o debute da família Levesinho ao comando da Feira Taurina da Moita, registando-se uma boa entrada de público na Corrida do Município.

Dois terços de entrada, num dia de semana, com frio, é obra, mas, mais obra, é o facto do certame ter começado com uma porta grande, justíssima!

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0