Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Opinião d’Ouro – Lição de Sangue

  • 2019-10-17 22:07
  • Autor: Solange Pinto


'O respeito que o TouroeOuro tem face à Tauromaquia, é inequívoco, mas, não é recíproco. Ou melhor e rectifico, é recíproco, mas por parte de quem realmente importa. Os aficionados continuam a dar preferência ao TouroeOuro, a uma larga margem de distanciamento do órgão que ocupa o segundo lugar.'

Numa tauromaquia cada vez mais universal, terminámos o fim-de-semana passado, mergulhados numa angústia extrema, pela dura colhida do bandarilheiro Mariano de la Viña.

Todos os toureiros de ouro ou prata são iguais, mas, aquando da chegada das tristes e preocupantes notícias, as memórias do ano 2007 regressaram num ápice. A colhida de Mariano de la Viña, no Campo Pequeno, fizeram-me a mim e ao João Dinis, conhecer melhor Enrique Ponce e conhecer também, Mariano de la Viña…

Depois de uma entrevista ao matador, no Hotel Continental, de saída para Espanha, prometemos ao diestro, que no dia seguinte visitaríamos Mariano no Hospital de Santa Maria. E assim foi, lá estivemos, a visitar o ‘campino’ Mariano (categoria profissional com que haviam feito a sua ficha na referida unidade hospitalar). Perante o bloqueio à porta do quarto, disse-nos simpaticamente Mariano ‘pasen, Enrique me ha dicho quien son y vos quiero dar las gracias por la amistad y preocupación…’.

As ‘gracias’ foram também dadas por Enrique Ponce, no Junho seguinte, em Badajoz… Há níveis de educação que em muito se distanciam de outros patamares inferiores, mas que existindo, nos servem de bitola e de crença profunda, do que sim é possível e do quão vale a pena estar “nisto”!

A notícia da dramática colhida de Mariano de la Viña, correu toda a imprensa espanhola. E quando digo toda, é mesmo toda. Senão ver o artigo da Aplausos, em que se referencia isso mesmo. A tragédia voltou a pairar no mundo dos touros, e tal facto não foi poupado nos ‘informativos’ de nuestros hermanos… Jornais impressos, televisão com interrupção de emissões, jornais digitais, da especialidade e generalistas. Todos informaram, pese embora a dureza da notícia e sobretudo, a dureza do vídeo e das fotografias.

Os espanhóis, sabiam que daqui resultariam insultos de anti-taurinos. Temem-nos como nós, mas, não os evitam, mostrando a cara e a cruz da festa dos toiros. Um dia a glória e o triunfo, outro dia, o sangue e o drama… Isto é a festa dos toiros a nível mundial. É preciso que se entenda, sobretudo é preciso que se entenda a essência e que não se desvirtue aquilo de que é feita a tauromaquia: sentimentos ao rubro, no triunfo e no drama inerente…

Se as imagens de Fandiño foram terríveis, as de Vítor Barrio foram de uma impressionante crueldade, contudo, repito, não foram poupadas…

Todos vimos as imagens e não foi por isso que nos sentimos mais frios… pelo contrário, nós os taurinos choramos com facilidade, emocionamo-nos com a perda de um dos ‘nossos’… Mas isto é a tauromaquia.

Pois bem, tudo isto reporta-me mesmo que não queira, a um marco da temporada. O estúpido atentado à liberdade de imprensa e de expressão, que um conjunto de captadores de imagens quis fazer… Ainda que quisessem atingir ‘pessoalmente’ o TouroeOuro, não o poderiam ter feito de forma tão ignorante. A informação deve ser sujeita ao bom senso, como de resto, deverá acontecer em tudo na vida, mas, jamais deve ser castrada ou manipulada, de forma a mentir sobre a essência da festa, onde o risco é existente.

Aos mentores do ataque ao TouroeOuro, deixamos o conselho, que o façam de formas mais inteligentes. Desta forma, apenas se puderam catalogar como desconhecedores da essência do toureio e da essência do jornalismo.

Não são amantes da tauromaquia com todas as suas componentes e muito menos são jornalistas, desconhecendo os seus princípios básicos.

Mas ‘desses’, não reza a história, nem da tauromaquia, e muito menos do jornalismo.

O grave da questão, é quando toureiros, apoderados e demais outros agentes da Festa, caem na esparrela, associando-se a um comunicado ‘sem pés, nem cabeça’… Mostrar apenas e só o lado triunfal da tauromaquia, apenas pode desvalorizar os seres heróicos que acreditamos todos que são…

Mas, no primeiro lugar do pódio, estão as associações do sector tauromáquico, que assinaram o dito comunicado.

O TouroeOuro, enviou às quatro associações (toureiros, empresários, ganadeiros e forcados) pedido de reunião, de forma a entender, os motivos do apoio ao comunicado e sobretudo, até onde se pretendia ‘filtrar’ a publicação de imagens… O diálogo pareceu-nos sempre a melhor via para o entendimento, mas…

Agradecemos publicamente, o facto da Associação de Toureiros nos ter recebido. Nuno Pardal e Américo Manadas, foram um exemplo perante tudo o resto. Ainda assim, diria que a reunião foi inconclusiva e que, em tom cordial, se discutiu o ‘sexo dos anjos’. Ficámos apenas com sensações, e pouco mais que isso… Sensação que não sabem o que apoiaram, sensação que iriam fazer algo, e… agora a certeza que não fizeram nada, de forma publica, certeza que o comunicado que apoiaram, não está em concordância com a total ausência de reprovação pública ao facto da ‘mesma imprensa do comunicado ou parte dela’, ter banido Sónia Matias das suas publicações, pelo facto de se ter mostrado enganada quanto ao real intuito do comunicado. 

A Associação de Toureiros nada faz para proteger a sua associada perante tão vil castigo destes captadores de imagens? Sabemos que valem o que valem e que ninguém vê os site(sinhos) que têm, mas e a intenção que demonstraram?

Da Associação de Empresários, recebemos uma resposta tão evasiva, como de resto é a ‘cara’ do seu presidente… Podíamos reunir nas imediações da Praça de Touros de Abiul, uma vez que ali iria estar na sua vertente de apoderado, ou, poderíamos ir às Caldas… em data a determinar, e que nunca se determinou…

Da Associação de Ganadeiros, recebemos uma resposta, à posteriori de um esclarecimento feito pessoalmente ao seu presidente. A resposta dava conta de que sim, poderíamos reunir, mas depois do período de férias… Contudo e o curioso, é que o Presidente, não sabia o teor do comunicado ao qual se tinha ‘associado’, pedindo inclusive que se enviasse para ler.

Da Associação de Forcados, recebemos a única resposta negativa. Ou seja, uma ‘nega’ à reunião, alegando a ANGF, que não reunia porque as notas de imprensa que enviavam ao TouroeOuro, não eram publicadas, o que, é categoricamente MENTIRA! Todas são publicadas, podendo o TouroeOuro exibir todos os links…

Portanto é este o espelho dos agentes com maior representação na Festa.

O respeito que o TouroeOuro tem face à Tauromaquia, é inequívoco, mas, não é recíproco. Ou melhor e rectifico, é recíproco, mas por parte de quem realmente importa. Os aficionados continuam a dar preferência ao TouroeOuro, a uma larga margem de distanciamento do órgão que ocupa o segundo lugar.

O resto, é apenas isso, o resto…

Desejamos rápido restabelecimento a Mariano de la Viña, porque isto sim, é a paixão e o espelho da verdade da Festa!

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0