Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Granja - Um triunfo e quatro refrescantes actuações

  • 2020-02-08 19:30
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Decorreu esta tarde de sábado, em Granja, Alentejo, um Festival Taurino com a presença dos cavaleiros Rui Fernandes, Filipe Gonçalves, João Ribeiro Telles, Duarte Fernandes, Paco Velasquez e Tristão Ribeiro Telles, com pegas a cargo dos Grupos de Forcados Amadores de São Manços, Real Grupo de Moura e Safara.
Lidaram-se reses de Mata-o-Demo e David Ribeiro Telles, com uma lotação preenchida de cerca de dois terços fortes.
CRÓNICA DO FESTIVAL
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

Este foi o segundo espectáculo do ano e teve ambiente… Não fossem as previsões de chuva e o Festival Taurino da Granja, teria certamente registado ainda maior afluência de espectadores. Ainda assim, dois terços de casa preenchida e durante quatro actuações, óptimo clima.

Três figuras à nossa escala e três mais jovens toureiros, ou pelo menos, não tão vistos, o que nos dias que correm, é uma bênção de Deus e um desenxovalho à alma.

Os três mais velhos toureiros, lidaram reses da ganadaria Mata-o-Demo, os mais novos, da ganadaria de David Ribeiro Telles, bem mais escorridotes que os primeiros.

Dos três mais velhos, destacaram-se positivamente Rui Fernandes, bem dentro do seu conceito de toureio com ‘raça’, a cravar bem, com bons momentos de brega e vistosos remates das sortes e em plano triunfal, João Ribeiro Telles, com uma actuação auspiciosa no que à sua temporada concerne. Depois dos regulares compridos, seguiu para uma série de curtos de elevadíssima nota, com batida ao piton contrário e uma quase aparente facilidade.

Completava esta primeira parte, o cavaleiro Filipe Gonçalves. Esteve em plano intermitente, com um ou outro apontamento positivos, mas, com um início de ‘faena’ desajustado, em que consentiu um forte toque na montada, a que se seguiram mais…

Duarte Fernandes prestava hoje provas para cavaleiro praticante. Lidou a passo, evoluindo com a rês e sobretudo, confiando-se, medindo distâncias e terrenos. O último curto, com batida ao piton contrário, foi de franca boa nota.

Paco Velasquez era a novidade da tarde e até da temporada. Ar fresco e bom conceito de toureio, quiçá com um pouquito de excesso de velocidade, mas a fazer as ‘coisas’ bem feitas. Bons ferros e boa lide na verdadeira acepção da palavra.

Terminou a função equestre o mais jovem em cartel, ou seja, Tristão Ribeiro Telles. Outra boa actução, já sem surpreender na qualidade que já se sabia ter. Presença agradável e conhecimentos, numa vertente ‘Telles’ mais ligeira. Boa actuação, penalizada pela instabilidade nas bancadas, devido à chuva que resolveu ‘dar as caras’.

As pegas da tarde, estiveram destinadas a três grupos de forcados, foram eles: São Manços, Real Grupo de Moura e Safara.

Os mais antigos em cartel, sentiram dificuldades na hora de pegar o primeiro do festejo, sendo necessárias seis tentativas para efectivar a função, estando cinco delas, a cargo de Sérgio Paços e Pedro Galhardo, sendo João Fortunato, o cabo, a concretizar, ao seu primeiro intento.

A segunda pega destinada à mesma formação, foi assegurada por Manuel Trindade, fechando-se à sua primeira tentativa.

Pelo Real Grupo de Moura, efectivou a primeira pega ao terceiro intento, o forcado João Pereira, dobrando o inicial Luís Bate e, Luís Branquinho, à primeira tentativa.

Pelo mais ‘jovem’ grupo em cartel, foram na linha da frente, os forcados André Tareco e Nelson Ramos, resolvendo a papeleta ao primeiro intento.

O segundo espectáculo da temporada foi dirigido, com correcção, pelo Delegado Técnico Tauromáquico, Domingos Jeremias.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0