Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Segredos d'Ouro - O Iva do Campo Pequeno...

  • 2020-02-09 22:49


Do Iva ao tema do Campo Pequeno, o TouroeOuro continua a apostar na verdade!

Foi uma semana complicada para a tauromaquia e a multiplicidade de temas ‘perigosos’ para a Festa, dividiu opiniões sobre os lugares ocupados no pódio.

É a subida do IVA o tema mais importante?

Foi a declaração de intenções políticas e o que daqui poderá resultar, o mais grave de toda esta questão?

Será que o silêncio a que se remeteram os agentes da Festa, é benéfico para a tauromaquia e sua união?

Ou, por último, será o ‘tema’ Campo Pequeno, aquele que mais abalará os aficionados?

Vamos por partes…

A subida do IVA, é logicamente um factor que quer se queira ou não, influenciará a economia de escala a que está sujeita a tauromaquia, sobretudo se pensarmos que o contributo do empresário para o estado, num bilhete de 20 euros, serão nada mais, nada menos que, 4,60 euros… Não é pouca coisa e mesmo dividindo o mal pelas aldeias, verdade é que sairemos todos beliscados, em cascata…

Imaginando que se ultrapassa a questão, passemos às intenções políticas e aos salvadores da pátria, que afinal, não os há… Um partido que fez do voto uma ditadura, as não surpresas e a total surpresa para alguns… Até hoje, imagine-se, subsistem as dúvidas no sentido de votação de André Ventura.

Mas há mais… E a Prótoiro? Não tinha tudo controlado? Ou não tinha? Desde que existe, ou melhor, nos últimos anos da sua quase década de existência, que a Prótoiro insiste em fazer crer que ‘está’ na Assembleia… Mas onde?

E as associações diversas? Reacções? Zero!

Bem, simples assim, as reacções das associações face ao IVA, foi exactamente a mesma, que teve, face a todo o processo de venda da concessão de exploração do Campo Pequeno.

Bem sabemos, que as ditas associações, não podiam fazer muito, mas, também sabemos, que já há toureiros preocupados e que, tentam junto da sua associação, saber mais, esclarecer dúvidas e diga-se, é legítima a preocupação…

Que todo o processo de venda decorreu de forma estranha, já não cabem grandes dúvidas, mas, que o tema ‘corridas no Campo Pequeno’, deveria ser alvo de preocupação da Associação de Toureiros, disso também não duvido.

Não precisamos fazer muitas contas, para, perceber, que se o Campo Pequeno não der corridas este ano, serão muitos os ‘postos de trabalho’ perdidos… Aliás, se a isto juntarmos as falecidas Viana do Castelo, Póvoa de Varzim, Setúbal… imagine-se quantos espectáculos se perderam…

Mas continuam remetidos ao silêncio e ai de quem ouse questionar o que quer que seja.

Não sou muita adepta da expressão ‘Nós tínhamos razão…’, mas bolas, tenho que dizer isto: NÓS TíNHAMOS RAZÃO!

Todo o Processo de Insolvência da SRUCP foi envolto em total esfrangalho legal… Baseemo-nos nos relatos da família Borges a vários órgãos de comunicação social e vejamos que tudo decorreu em forma de cabala não só financeira, mas também política.

Mas, verdade seja dita, que a tauromaquia e alguma imprensa altamente associada ao Campo Pequeno, sempre agradeceu e enalteceu mais à Gestora de Insolvência, que propriamente à família que ergueu tudo aquilo… Não fosse cá por coisas e recordava aqui o discurso de aniversário da restauração do Campo Pequeno… Coisas da nossa Festinha, que, mais brindou a Paula Mattamouros Resende, do que propriamente à família Borges.

Pois bem, fizeram-nos também acreditar, ou quiseram fazer, que tínhamos muito a agradecer pelo facto da Senhora Gestora de Insolvência ser aficionada e por isso, não virar as costas à tauromaquia. Pois sim, mas, reduziu em muito o número de espectáculos face ao reinado Borges, e disse em muitas ocasiões, que em Portugal não há artistas qualitativamente habilitados a ir ao Campo Pequeno…

Louva-se o filtro justo da Senhora Administradora, mas, não esqueçamos, que Ventura e Pedrito ali não foram e qualidade e capacidade de fazer negócio no Campo Pequeno, isso tinham…

A gestão de insolvência da praça de touros ora adquirida por Álvaro Covões, não foi brilhante e diria eu, que foi medíocre.

As temporadas de insolvência foram medíocres e com ausências injustificadas. Mais, com repetições infundadas, ou melhor, fundadas pelos apoderamentos encabeçados por Rui Bento, sendo que infelizmente, isto não foi um exclusivo das temporadas insolventes…

Sem budget para publicidades em órgãos de comunicação credíveis e líderes no sector, a verdade é que esta gestão, fez escolhas ‘viciadas’ em amizades pressionadas com ameaças de lobbys gays… A verdade, é que esta gestão, foi a Macau promover o Campo Pequeno, quando em Portugal se dizia sem capacidade financeira à altura de certas propostas. A verdade, é que o Campo Pequeno, viveu ao sabor, da mediocridade de cartéis, mesclados com outros apenas banais e um ou dois, bons!

Juan Bauptista, veio ao Campo Pequeno, no mesmo ano, que Moura Júnior foi a Arles… Tudo coincidências da vida…

Todos viam, todos comentavam, mas, o que garantimos, é que agora todos comentam muito mais. Nós por aqui, sempre dissemos o mesmo, fiéis aquilo que sempre soubemos e que nos valeu, negas para trabalhar, enquanto o marido da Gestora de Insolvência ocupava um burladero, envergando uma máquina fotográfica para publicar imagens não sei exactamente onde…

Isto é apenas a ponta de um cubo de gelo ou de um alegado iceberg que todos comentam agora mais descomprometidamente…

Se a Festa está doente, é porque certos agentes, ressabiados com o insucesso das carreiras do passado, apostaram em ‘levar da Festa’ tudo o que pudessem, quiçá também na ânsia de se fazerem respeitados, coisa que de outra forma, não o foram…

A vida é isto e não falo assim porque vejo Rui Bento pelas costas… Pois é, do seu futuro, nada se sabe e sim, é certo que ali pode e quer ficar, seja lá da forma que for… Por conta de outrem, ou dele próprio, o que interessa é ficar, para que assim mantenha Nazaré e as suas ‘irmãs’…

Mas, há mais interessados, de pessoas válidas, capazes e com tantas ou mais capacidades.

Com Rui Bento, lá se vão as senhas para o TouroeOuro, mas, sem Rui Bento e com outras caras, renovar-se-à o espírito restante de Campo Pequeno enquanto praça de touros.

Rui Bento está em campanha em tudo o que é órgão de comunicação, sendo que se ‘afeiçoará’ a Álvaro Covões, da mesma forma que se ‘afeiçoou’ aos Borges e depois a Paula Resende.

A questão é uma ou duas corridas, sete ou oito, ou, nenhuma… mas a questão é também, uma Praça de Touros cuja importância se perderá juntamente com a ausência de temporada, ficando de portas abertas para os ‘amigos’ dos organizadores e/ ou, para os que tiverem dinheiro para pagar as suas actuações naquela praça.

Simples assim… O Campo Pequeno, está em maus lençóis e esta, é a grande machadada na Tauromaquia.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0