Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Segredos d’Ouro – Dos “toureiros unidos” aos pouco unidos e a razão do TouroeOuro

  • 2020-05-13 21:22


"...Como conhecedores do modus operandi tauromaquia, e dos seus agentes, optámos por deixar passar umas horas, que nem foram assim tantas, para aprofundar e ter agora dados que nos permitam perceber que a reunião que apelidaram de “pacífica e muito positiva” foi tudo menos isso, houve mesmo muitos “ajustes de contas”, muitos esclarecimentos acalorados, e muita poeira no ar..."

Voltamos a frisar para que não haja qualquer dúvida… no TouroeOuro sempre nos pautámos pela verdade e mais tarde ou mais cedo, o tempo tem sempre dado razão a quem fala verdade, nós!

No passado dia 19 de Abril, noticiámos que “Iniciativa da Prótoiro deixa toureiros indignados por se considerarem esquecidos pela Federação”, onde demos conta de que vários toureiros nos tinham feito saber da sua indignação para com as actividades da Federação Prótoiro e da Associação Nacional de Toureiros, sobretudo por se sentirem desacompanhados e esquecidos pelas respectivas entidades para as quais efectuam os respectivos descontos.

No dia 21 de Abril, recebia o TouroeOuro um e-mail do endereço toureiros.unidos@gmail.com, desconhecido no seio da nossa redacção e que por isso, solicitámos prova da veracidade de entidade dos remetentes, sendo que nunca nos fizeram chegar a prova pedida sobre a missiva enviada, pelo que, a considerámos sem qualquer valor, mantendo no entanto, tudo o que escrevemos na notícia, aliás, ratificada mesmo por nós!

É preciso que se entenda, que nesta ‘coisa’ chamada de imprensa, há regras, e nisto da ‘comunicação’, também, pelo que é bom que entendam, que não somos dos tais que publicam tudo o que chega, só porque não temos nada para publicar… O TouroeOuro, não é propriamente a republica das bananas.

Ainda assim, ao que sabemos o escrito foi redigido por Emídio Pinto, antigo cavaleiro tauromáquico e que terá sido “convidado” por um dos interessados em “manter tudo como estava”, a escrever sobre o apoio e a união dos toureiros, sobretudo em torno da Direcção da Associação Nacional de Toureiros…

Sabemos das pressões que houve para assinar o inapropriado comunicado, dos toureiros que assinaram sem ler, e de muitas outras estórias, mas vamos abreviar…

Na rede de conversação WhatsApp existiam, sim porque entretanto vá-se la saber porquê, já desapareceram, diversos grupos onde se juntavam cavaleiros, bandarilheiros, e onde cada um mandava uma “laracha”, sem que muitas vezes existisse entendimento… e foi talvez essa maneira de comunicar que terá irritado, e de que maneira, muitos dos intervenientes no espectáculo tauromáquico.

Entende-se… novamente, forma pouco ‘profissional’ de comunicar e onde a confusão facilmente se instala.

Ao se aperceberem que “afinal o TouroeOuro tinha razão”, e a comunicação entre toureiros (de todas as classes) e associação estava bastante complicada, os toureiros decidiram tomar uma posição, sobretudo aqueles em que o nome e a estatuto lhes pesa, e criaram eles um “grupo de trabalho” de modo a tomar atitudes e sobretudo, tentar minimizar a crise que atravessam, ainda que talvez não da melhor forma.

O “grupo de trabalho” é sobretudo integrado pelo que muitos chamam o “núcleo duro” da cavalaria portuguesa o que está a deixar muitos dos “menos sonantes” descontentes, por se considerarem desrespeitados pelos colegas, “guerra das esporas (fora da arena) à vista?” Queremos acreditar que não, e que, os mais sonantes vão integrar os menos sonantes, afinal todos “são filhos de Deus”.

Após uma semana inteira de conversações e troca de ideias entre o núcleo duro, na passada segunda-feira, as instalações do cavaleiro Gilberto Filipe, receberam a “fina flor” da tauromaquia, onde entre outros, marcaram presença os cavaleiros, João Moura, Rui Fernandes, João Ribeiro Telles, João Moura Caetano, Francisco Palha, Luís Rouxinol e Rouxinol Jr., João Moura Jr., António Telles, Duarte Pinto, João Salgueiro da Costa, e também Rui Salvador, Vice-presidente da Associação, João Ribeiro Telles (pai) e Emídio Pinto, convidados enquanto cavaleiros mais velhos e “mediadores da paz”, numa reunião que tinha como objectivo “pedir contas” a Nuno Pardal, da Associação Nacional de Toureiros.

No dia seguinte, fomos contactados e contactámos diversos toureiros e integrantes da reunião, e tendo conhecimento de alguns dos temas debatidos, estranhámos o “bom ambiente” que parece ter ficado da reunião, sabendo nós que muitos dos toureiros iriam pedir a demissão de Nuno Pardal e da sua Direcção da Associação Nacional de Toureiros e do Fundo de Assistência, isto depois de estes lhe terem “cortado os seguros” durante o estado de emergência, algo que a muitos não foi comunicado e outros nunca perceberam o porquê!

Como conhecedores do modus operandi tauromaquia, e dos seus agentes, optámos por deixar passar umas horas, que nem foram assim tantas, para aprofundar e ter agora dados que nos permitam perceber que a reunião que apelidaram de “pacífica e muito positiva” foi tudo menos isso, houve mesmo muitos “ajustes de contas”, muitos esclarecimentos acalorados, e muita poeira no ar.

Entre as diversas questões abordadas, os toureiros pretendem ver clarificadas de uma vez por todas as contas da Prótoiro, e os dinheiros da Associação de Toureiros que lá são aplicados. Há muitos toureiros que não percebem mesmo como não foram ainda apresentadas as contas do “Dia da Tauromaquia”; outro dos temas é a questão da criação de “grupos”, isto é, toureiros do Grupo A, que seria integrado por muitos destes que ali marcaram presença e toureiros do “Grupo B”, que podemos deduzir que seriam os que ali não estiveram, e que reclamam agora ter sido propositadamente esquecidos pelos seus colegas.

Também os dinheiros, ou alegadamente falta deles, nas contas da Associação de Toureios e Fundo de Assistência, deram que falar, com as contas a serem pedidas a Nuno Pardal, que foi sem dúvida o principal visado na reunião, por muitos considerarem que este pode não ter efectuado uma “correcta gestão”, sobretudo dar poucas respostas quando a isso foi chamado.

Também o comunicado efectuado pela Associação Nacional de Toureiros aquando do “caso João Moura”, sobre os galgos, foi um momento acalorado, com o toureiro de Monforte a mostrar o seu desagrado pela posição tomada por parte da Associação que o representa.

Um dos primeiros temas, mas que propositadamente agora deixamos para o fim, foi como o TouroeOuro e o Farpas já sabiam da reunião, e a noticiaram, com muitos detalhes do que iria ali ser falado, sendo unanime para todos os toureiros, e as principais figuras que integravam a reunião, que são de facto os mais importantes órgãos de informação taurina, e os que merecem uma maior atenção por parte de todos!

Estranhamente, os mesmos órgãos não ouvidos aquando da elaboração das 21 medidas a apresentar ao Governo, sendo que, uma delas menciona a Comunicação Social. Ou seria um dos órgãos que nós cá sabemos…

A verdade, verdadinha, e aquela que o TouroeOuro muito gosta e promove, é que a reunião não foi assim tão pacífica como quiseram fazer parecer nas horas imediatas, tendo os toureiros mais velhos, sobretudo João Ribeiro Telles, que intervir diversas vezes e colocar “água na fervura”, fervura essa que ia fazendo explodir a panela.

Ao dia de hoje, continuam bastante activos todos os grupos, sobretudo o dos toureiros que solicitaram a reunião, que estão mesmo determinados em fazer uma “revolução” na Associação de Toureiros, nem que para isso se tenham que actualizar os estatutos.

Quanto aos toureiros “menos conhecidos”, chamemos-lhe assim, continuam bastante indignados com os seus colegas, por se considerarem esquecidos, bem como os matadores, com os quais terá já havido conversações com o intuito de os elucidar sobre os propósitos desta reunião.

Também alguns bandarilheiros ali estiveram representados, mas ainda assim menos interventivos, dando voz aos cabeças de cartaz.

Embora saibamos ainda muito mais detalhes, mas que por não nos terem sido confirmados oficialmente, preferimos, para já, e a bem da tauromaquia, que vive um momento bastante complicado em virtude da crise imposta pelo covid-19.

Quanto ao TouroeOuro, agradecemos a preferência demonstrada pela “vintena de figuras”, mas esta é a prova de que aqui falamos verdade e sempre a verdade!
Quando dissemos que havia, e há, toureiros descontentes era a pura das verdades!

Quanto ao comunicado dos “toureiros unidos”, faltou só foi dizerem em torno do quê, é que estavam unidos… faltou apenas e só, frontalidade, a mesma que graças a Deus, temos para dar e vender.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0