Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Escândalo na Imprensa Taurina – Autoridades investigam declarações falsas que permitiram obtenção de carteiras

  • 2020-07-29 18:17


Empresários e IGAC podem ter sido enganados com falsas carteiras de jornalista

A Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ) e a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) têm a decorrer dois processos de investigação sobre diversas carteiras de jornalista, algumas de “Colaborador”, bem como sobre alguns órgãos de informação taurinos, que terão sido obtidos e registados de forma irregular.

De acordo com o que o TouroeOuro apurou, a CCPJ investiga algumas carteiras de “Colaborador (a)”, que nos últimos anos foram obtidas com declarações de órgãos de informação extintos há mais de sete anos, facto que pode vir mesmo a ser considerado crime, bem como duas outras situações distintas, carteiras que foram obtidas em nome de órgãos que em nada estão relacionados com a tauromaquia e de titulares de carteiras que trabalham directamente em publicidade.

Por sua vez a ERC faz agora uma rigorosa investigação quanto a empresas e órgãos de informação que mais não são que “fachada” para negócios de publicidade, que como é do conhecimento geral são actividades que não se podem exercer em paralelo.

O TouroeOuro contactou já ambas as entidades, com o objectivo de confirmar as investigações, sendo que até ao momento só a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista confirma que existem averiguações a decorrer, estando a ser efectuadas as diligências que se impõem, referindo ainda a entidade que irá agir de acordo com as suas competências, não revelando, para já, mais factos sobre as averiguações em torno deste caso.

Sabe o TouroeOuro que algumas pessoas já terão mesmo sido notificadas, devendo o caso vir a conhecer desenvolvimentos muito em breve.

A confirmar-se as suspeitas das entidades, nos últimos anos foram muitos os empresários que foram embusteados e/ou coniventes, bem como a Inspecção Geral das Actividades Culturais (IGAC), que aceitou como válidas carteiras profissionais que não o eram, sendo de aguardar também uma punição por parte destas entidades.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0