Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Segunda da Moita - O Joker da Sorte foi para Cuqui com boas sequências de Juanito

  • 2020-09-17 03:26
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Na noite da passada quarta-feira, 17 de Setembro, realizou-se a segunda corrida da Feira Taurina da Moita.
Cartel apenas e só de matadores, estando em elenco: Nuno Casquinha, Joaquim Ribeiro 'Cuqui' e Juanito, com toiros da prestigiada ganadaria Palha.
O espectáculo registou menor afluência de público que no dia anterior, mas ainda assim, em bom número.
Triunfou, Joaquim Ribeiro 'Cuqui', com boas sequências de Juanito.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

As coisas são o que são e enfeitar os factos, nem sempre é a melhor solução. Lidar Palhas não é para 'meninos' e os meninos, nem sempre querem 'ver' Palhas...

A segunda corrida da Feira Taurina da Moita, tinha um forte atractivo, que era precisamente o facto de três matadores de toiros portugueses, se perfilarem para lidar nada mais, nada menos, que um curro de Palha.
A 'coisa' agudiza-se no que a interesse concerne, quando ainda por cima, dois dos toureiros, são 'talhados' para outro género de ganadarias, mas, entende-se a fuga ao registo... necessidade de provar que podem? Talvez! Escassez de oportunidades? Também... es lo que hay e convém não virar a cara à luta.

Assim sendo, cartel composto pelos diestros lusos: Nuno Casquinha, Joaquim Ribeiro 'Cuqui' e Juanito.

O Joker da sorte foi para Joaquim Ribeiro 'Cuqui', com um toiro de escândalo e argumentos para o lidar, com sequências de especial destaque para João Silva 'El Juanito'.

Mas comecemos pelo início.

Nuno Casquinho 'bailou com a mais feia', que é o mesmo que dizer, com o pior lote. Da terna, criamos todos ser o matador mais talhado para este tipo de toiros e disso, não se duvida, mas, o seu lote nada permitiu, sendo o segundo ainda bem pior que o primeiro, não dando para sacar um passe.
Frente ao primeiro, a sua já abundante experiência, fez ditar passes, embora isolados e sem ligação, estando o toureiro isento de culpas.

Joaquim Ribeiro 'Cuqui', arrisco em dizer que é talvez o menos 'toureado' do elenco, mas, não diria isso a ninguém como verdade nua e crua.
Cuqui parece actuar todos os dias e a sua naturalidade, a mesma já exibida nas Caldas da Rainha, são qualquer coisa de apreciável. Nada é exagerado, nada é forçado e nada é demasiado 'armado' só porque sim. Qualidades tem e tem como aqueles que 'nascem para cantar o fado'.
Certo é também que Cuqui sorteou o Joker por entre o naipe de seis, mas, também é verdade que teve argumentos, ganas e soube estar perante tamanha responsabilidade. E pense-se. Lidar um Palha mau, é duro, mas lidar um bom, nao defraudando, era todavia proposta mais arriscada e Cuqui, ganhou.
Se frente ao segundo, o sobrero que substitui o antes sorteado e que foi devolvido por ter partido um piton, nada pode fazer, frente ao primeiro a história foi outra...
Começou de joelhos em terra, lanceando à veronica.
Dividiu tércio de bandarilhas com Casquinha e somou um bom par 'al violin' e de muleta, 'ui', que torerazo de fino recorte. 
Iinicou novamente de joelhos, com uma série pela direita, a que se seguiram outras. Imagine-se que houve uma 'tanda' por naturais, de beleza incontestável. Toureio em redondo, circulares, de tudo...
Triunfo maior, faena para ficar na história da Moita.

Esta sim era a corrida em que estava anunciado.
João Silva 'El Juanito', teve presença muito meritória frente ao primeiro do seu lote. Esteve em artista, como sempre está, mas esteve sobretudo em plano lidador, contrariando os primeiros sinais ao encontro do toiro com a muleta e que davam conta de que o seu oponente de Palha, queria fugir à 'pelea'. Juanito acreditou e bem, porque tirou água de um poço que parecia seco. Grande actuação, sobretudo em conhecimentos e técnica para confirmar a sua 'escola'.
Não foi redondo por ausência total de responsabilidade do diestro, mas houve sequências de valor.

A ganadaria Palha enviou um curro de toiros desigual em trapio, em jogo dado, destacando-se pela positiva e de resto premiado com volta, o segundo exemplar do festejo.

Boa entrada de um público diferente dos restantes dias e de outras praças, com aficionados ao toiro e ao toureio a pé e que surpreendeu em número, pela positiva.

Dirigiu com acerto Tiago Tavares, assessorado pelo médico veterinário Jorge Moreira da Silva.

Nota positiva para o melhor estado da arena, sendo que se cumpriu um minuto de silêncio em memória do bandarilheiro Jacinto Fernandes e do forcado Luís Branquinho, pelos seus recentes falecimentos.

 

 

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0