Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Terceira da Moita - Moita Esgotada em noite de comemorações

  • 2020-09-18 02:28
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


A terceira corrida da Feira Taurina da Moita, esgotou a lotação permitida para ver um cartel composto pelos cavaleiros António Telles, Filipe Gonçalves, João Ribeiro Telles, Andrés Romero, António Prates e Tristão Ribeiro Telles.
As pegas estiveram por conta do Grupo de Forcados do Aposento da Moita.
Lidou-se um curro de toiros da ganadaria de Mata-o-Demo.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

A terceira corrida da Feira Taurina da Moita, foi um verdadeiro sucesso na óptica empresarial.
A Tauroleve esgotou o papel à venda em número permitido pelas autoridades de saúde, vivendo a Daniel do Nascimento um ambientazo à antiga, numa noite que em termos climatéricos e face às assustadoras previsões, teve uma 'ajuda' da protectora mointense, Nossa Senhora da Boa Viagem.

A Praça de Touros Daniel do Nascimento, abriu portas com pompa, fazendo também tributos e entregando-se prémios aos triunfadores da temporada transacta. A Sociedade Moitense não deixou passar a feliz ocasião, juntando na arena os galardoados.
A ocasião foi também de tributo à Sociedade Moitense, pelo cumprimento dos 70 anos de existência do emblemático tauródromo, sendo que se assinalou também, o 45º aniversário de fundação do Grupo de Forcados do Aposento da Moita.

A noite era de comemoração de efeméride e por isso, fardaram-se antigos e actuais elementos do Grupo do Aposento da Moita, capitaneado por Leonardo Mathias e foi ele, o cabo, que abriu as hositilidades, numa noite que não foi redonda, mas, onde foi bonito rever certos 'ilustres' desta jaqueta.
Por entre os brindes mais expressivos, conta-se o que foi feito aos cabos, a Nuno Carvalho 'Mata' e ao Presidente da Autarquia local.
Como um dos momentos a recordar, contam-se umas quantas pegas em que Tiago Ribeiro rabejou, marcando novamente a diferença e provando que quem sabe, jamais esquece, ficando para sempre na história, como um dos melhores neste campo.
Por esta ordem, pegaram: Leonardo Mathias (à quarta), Luís Fera (à segunda), João Ventura (à quarta), Fernando Parente (à primeira), Martim Cosme Lopes (à segunda) e Fábio Matos (à quarta).

Lidou-se um curro de toiros da ganadaria de Mata-o-Demo, com peso e remate, sem que no entanto emprestassem grande emoção ao espectáculo. Importa referir ainda assim, que todos se 'deixaram' lidar... De melhor comportamento e transmissão os da primeira parte, a vir a menos os da segunda.

No que ao toureio equestre concerne, houve maior equidade na primeira parte, com boas actuações de António Telles frente ao primeiro da noite, com bons ferros e boa brega, dentro do seu conceito clássico e elegante; de Filipe Gonçalves, a receber com um muito bom comprido em sorte de gaiola e uma série de curtos com qualidade em crescendo, sendo os primeiros de menor valor, com reuniões muito abertas, mas, os dois últimos de elevadíssima nota, com remates em piruetas ajustadas; e de João Ribeiro Telles, a repetir triunfo apenas dois dias depois de ali ter triunfado, com os momentos maior a cargo do dueto formado com o Ilusionista e os seus ferros poderosos e que deixam tudo e todos em pé.

Andrés Romero veio à Moita tentar impor o seu toureio diversificado e alegre, mas, enfrentou-se com um toiro de difícil leitura e que se apresentou complicado. Ainda assim, o toureiro ladeou alegrando a brega e cravou de forma correctíssima em tods as ocasiões. Terminou com um palmito de boa nota, marcando presença agradável na Moita.

António Prates também não viu facilidades no comportamento do seu oponente, ainda assim e depois dos regulares compridos, seguiu em tom também regular e agradável para os iniciais curtos, lidando e bregando de forma bonita. 
Com a mudança de montada de forma a cravar os ferros com câmbios, a lide veio um pouco menos, devido ao facto do toiro não corresponder. como seria desejável. Terminou com uma bandarilha traseirota.

Tristão Ribeiro Telles tem modos e conhecimentos e disso não cabem dúvidas, gostando de ser 'senhor' dos acontecimentos, não exagerando na dose de 'proteção' por parte dos seus bandarilheiros. Iniciou com tom morno e a passo, lá foi construindo 'faena', terminando em muito bom plano, com boas bandarilhas e bonitos recortes.

O festejo foi dirigido pelo Sr. Fábio Costa, coadjuvado pelo medico veterinário, Carlos Santos.

Nota: Antes do início do festejo, ainda que extra corrida, houve um espectáculo de fogo de artifício, com vista priviligiada a quem estava dentro do tauródromo, assinalando-se as Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem, acabando por criar ambiente e boa disposição para o espectaculo taurino propriamente dito.

 

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0