Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Vila Franca - E amanhã lembramo-nos de quê...?

  • 2020-10-05 21:01
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Realizou-se na tarde deste Feriado Nacional, 5 de Outubro, a segunda corrida de touros da Feira de Outubro de Vila Franca.
Em praça estiveram os cavaleiros Manuel Telles Bastos, Marcos Bastinhas e Luís Rouxinol Júnior, bem como os Grupos de Forcados Amadores de Ribatejo, Chamusca e Beja, com toiros de Prieto de la Cal.
A Praça de Touros Palha Blanco esgotou a lotação permitida pela DGS.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

Escreverei isto até que me canse e sobretudo até que se entenda.
Vila Franca não é uma terra qualquer e não admite certas coisas, e bem...
Não admite touros mal apresentados, não admite actuações fraudolentas, não admite excesso de caputazos por parte das quadrilhas, não admite música antecipada ou falta dela... Talvez por tudo isto, Vila Franca, por alturas da lide do quinto, começou a ficar impaciente e a engrossar os protestos. As 'coisas' não estavam de encher medidas a ninguém. A tarde foi um fastidio, onde se aproveitaram pormenores num resultado curto demais para que amanhã, nos lembremos de alguma coisa.
Mesmo quando os toiros são maus, podem surgir grandes lições, ou não é esta a magia da tauromaquia?

Manuel Telles Bastos foi autor de uma primeira actuação apenas em tom morno, sendo que a segunda e embora com ganas iniciais, reveladas por um primeiro comprido em sorte de gaiola, a moral veio abaixo e tudo não passou de intenções... O toureiro esteve desinspirado, sem 'luz', com inúmeras passagens em falso e um tom pesado para quem assistiu. 
A tudo isto, importa juntar um lote de toiros que não serviu ao triunfo, mas serviria a actuações de raça, de exposição de conhecimentos para um exame na mais exigente das universidades. 
Fica para a próxima... 

De Marcos Bastinhas veio um início de actuação frente ao segundo da ordem, de verdadeiro augúrio de uma tarde de triunfo. Recebeu à porta gaiola, andou, correu com o toiro em sua perseguição, foi encortando o perímetro e quando demos por isso, estavam todos num palmo de terreno. Grande momento, ovacionado em pé por muitos dos tais exigentes e se querem que Vos diga, foi do pouco que valeu. Mais um bom comprido e outro curto e a música nada de tocar... Veio depois da segunda bandarilha, fase em que o toiro veio a menos e com ele, Bastinhas também.
Frente ao segundo, tudo pior. O toiro nada, o toureiro sem ilusão de triundo, apenas cumpriu.

Luís Rouxinol Júnior foi autor da que foi talvez a mais regular exibição da tarde. Esteve bem frente ao último Prieto de la Cal, deixou a ferragem com acerto, levou o toiro para onde quis e claro, fê-lo à base de meritório trabalho, mas de triunfo, não se poderá falar.
Frente ao primeiro, andou em tom também discreto, brilhando também numa tentativa de sorte de gaiola, que afinal falhou, aproveitando o ressalto e viagem do toiro, com emoção... e foi só.

Lidaram-se toiros da ganadaria Prieto de la Cal, a maioria jaboneros de pelagem, com apresentação justa mas ainda assim correcta, com mobilidade, mas na sua generalidade a racharem-se cedo, não permitindo lucimento por parte dos toureiros, roçando a mansidão.

As pegas da tarde, estiveram por conta dos Grupos de Forcados Amadores do Ribatejo, Chamusca e Beja. Parabéns aos forcados, que não complicaram aquilo que correu maravilhosamente...

Pelos Amadores do Ribatejo, foram na linha da frente para duas efectivações ao primeiro intento, Pedro Espinheira (cabo) e Rafael Costa.

Vestindo a jaqueta de ramagens do Grupo de Forcados Amadores da Chamusca, concretizaram pegas Miguel Santos e Bernardo Borges, também à primeira tentativa.

Pelos Amadores de Beja, foram na linha da frente, Manuel Vicente, numa consumação ao primeiro intento e, Francisco Patanita, à primeira tentativa. Boa pega esta última, a levantar o público.

A corrida foi dirigida pelo Delegado Técnico Tauromáquico Ricardo Dias, assessorado pelo médico veterinário, Carlos Santos.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0