Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Autarcas socialistas contra decisão do Governo de limitar idade para espectáculos taurinos

  • 2020-11-12 12:05


Três autarcas socialistas, nomeadamente o Presidente da Câmara Municipal de Moura, Álvaro Azevedo, e os Presidentes das Juntas de Freguesia de Azambuja, Inês Louro e Beringel (Beja), Vítor Besugo, demonstraram já publicamente o seu descontentamento com a intenção apresentada pelo PAN de propor ao Governo a iniciativa de alterar a idade para assistir e participar em espectáculos taurinos, para os 18 anos, que poderia vir a ser aceite pelo Governo socialista, em troca da aprovação do Orçamento de Estado para 2021.

Os três demonstram posições bastante contrárias às que estão prestes a ser aceites pelo partido que representam, e pelo qual foram eleitos, existindo mesmo reivindicações de entrega do cartão de filiação no partido, “se tal vier a acontecer o meu cartão de militante seguirá nesse mesmo dia para o Largo do Rato, pois jamais me poderei rever numa cultura de autoritarismos e proibições!”, refere Vítor Besugo, ou de envio da Lei para o Tribunal Constitucional, casos de Inês Louro, que no seu texto reivindicativo, que deu à estampa nas redes sociais, afirma que, “não aceitarei este atentado à identidade da Freguesia a que presido e falo apenas em nome de Azambuja. Se necessário, recorrerei ao Tribunal Constitucional... até que a voz me doa."”

O autarca de Moura, faz um discurso mais abrangente, referindo-se não só à tauromaquia, como a todas as actividades rurais, que no seu entender estão a ficar em risco, com as atitudes de partidos “lisboetas” e sem conhecimento do mundo rural.
Álvaro Azevedo refere mesmo que admite “todo o direito de pensar diferente a quem não gosta do universo da Tauromaquia. Não posso é aceitar que de ânimo leve se mantenha o nosso povo em silêncio, e para os lados de Lisboa, que não nos conhece, nem quer conhecer, se tomem decisões, que ao invés de unirem o país, abrem feridas que um dia mais tarde dificilmente conseguiremos sarar”, concluindo a sua missiva que “não é espezinhando a diferença que nos tornamos melhores enquanto sociedade. E isto serve para tudo. Não só para a Tauromaquia e Caça.”

Por terem sido publicados nas redes sociais, os textos reivindicativos dos autarcas rapidamente tomaram proporções, obtendo inúmeras reacções e partilhas, que estão a movimentar outros autarcas a tomar idênticas atitudes.

Até ao momento, a Secção de Municípios com Actividade Taurina da Associação Portuguesa de Municípios, liderada também por um autarca do PS, não tomou nenhuma posição, ao que o TouroeOuro apurou, tendo em conta a situação que se vive em inúmeros concelhos com a pandemia da Covid-19, que não permitiu a reunião de autarcas de modo a que estes possam tomar uma posição sobre a intenção governamental.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0