Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

A incerteza das 4 mais importantes feiras do início de ano em Espanha

  • 2020-12-20 13:42


Castellón, Valencia, Sevilha e Madrid com importantes reduções de números de espectáculos

São sem lugar a dúvida, as quatro mais importantes feiras taurinas do mundo, no que concerne ao início de cada ano.
'Feria de la Magdalena', em Castellón; a 'Feria de Fallas', em Valencia, a 'Feria de Abril', em Sevilha e a 'Feria de San Isidro', em Madrid, estão com as suas eventuais realizações ainda envoltas em dúvidas e incertezas.
A constante expectativa na existência de uma terceira vaga de Covid-19 e as restrições impostas pelas autoridades de saúde face a ajuntamentos, sobretudo em espectáculos públicos, atira para uma núvem de incertezas, os quatro certames mais emblemáticos do início de temporada, na Europa, senão mesmo no mundo taurino.
Assim sendo e segundo as reuniões mantidas entre empresários espanhóis e as autarquias das respectivas localidades, ditado está a redução significativa do número de espectáculos em cada uma destas feiras, o que inevitavelmente, diminui também o número de postos de trabalho em todas as áreas da tauromaquia.
Em Castellón e na melhor das hipóteses, passar-se-à de uma semana de corridas, com tradicionalmente 8 ou 9 espectáculos a uma tranche de previsivelmente 4.
Em Valencia, trocar-se-à os costumeiros 10 espectáculos, para também 4, com agendamento entre os dias 18 e 21 de Março de 2021.
A juntar a tudo isto, uma maior preocupação no caso da Real Maestranza de Caballería de Sevilha, que, pode mesmo, reduzir para menos de metade o número de vezes que abrirá portas em Abril. Ou seja, em vez de 17 espectáculos, em que se incluem novilhadas, corridas de touros e de rejoneo, poderão vir a ser apenas 7, desconhecendo-se ainda a tipologia dos mesmos. A confirmar-se, manter-se-à a Corrida do Domingo de Ressurreição (Domingo de Páscoa) e três espectáculos numa semana, com três espectáculos noutra semana, de forma a apanhar os dias mais comerciais, diga-se, sextas, sábados e domingos.
Da maior praça de touros da Europa, chega a maior das preocupações. Depois de uma temporada sem touros, a Monumental Praça de Touros de Las Ventas, em Madrid, prepara-se para dar corridas de touros, sem que se saiba ainda o número de espectáculos possíveis, estimando-se que haja uma redução significativa do números dos mesmos.
A Comunidade de Madrid, anunciou já a intenção de prolongar o tempo de contrato com o arrendatário Simon Casas, 'entregando-lhe' a gestão do tauródromo por mais um ano, ou seja, até 2022, na tentativa de assim compensar o francês pelas perdas do ano 2020.
Por parte da empresa 'Plaza 1', fala-se já na possibilidade de transferir a Feira de Santo Isidro para Setembro, altura em que se prevê que a pandemia dê tréguas, anulando-se por completo os festejos de Maio e Junho, bem como as corridas de Páscoa.
Tudo isto, pressupõe um impacto económico negativo na tauromaquia, pela abolição de muitos postos de trabalho, reflectindo-se também de forma catastrófica na sector ganadeiro, estimando-se que fiquem muitas reses sem destino.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0