Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Testagem rápida à Covid-19 pode mesmo avançar na tauromaquia

  • 2021-04-06 15:21


Governo prevê realização de espectáculos teste que podem envolver a tauromaquia

Foi hoje publicado em Diário da República o Decreto-Lei 26-A de 05 de Abril de 2021, que numa revisão ao anteriormente publicado a 26 de Março, que regulamenta as medidas excepcionais e temporárias de resposta à pandemia da doença COVID-19 no âmbito cultural e artístico, em especial quanto aos espetáculos não realizados, estando também prevista a realização de espectáculos teste.

De acordo com o decreto governamental, “tendo em consideração a evolução da pandemia, torna-se necessário alterar o referido decreto-lei no sentido de se assegurar a respectiva aplicação ao reagendamento ou cancelamento de espetáculos não realizados por determinação legislativa ou administrativa de fonte governamental, bem como da autoridade nacional de saúde.”

Por outro lado, a realização de festivais e espectáculos de natureza análoga, durante o ano de 2021, obedece às orientações emitidas pela Direção-Geral de Saúde em função das regras de distanciamento físico que sejam adequadas face à evolução da pandemia da doença COVID-19, as quais podem ser definidas após a realização de eventos teste-piloto”, refere o Decreto de Lei, que salienta que tais eventos têm por finalidade, nomeadamente a definição das orientações técnicas relativas à ocupação de lugares, à lotação e ao distanciamento físico, pelo que para o Governo torna-se premente permitir que os espectadores, artistas e técnicos, bem como a todos os trabalhadores e prestadores de serviços envolvidos na organização, realização e produção de festivais e espetáculos de natureza análoga, sejam sujeitos à realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2.

Embora os espectáculos tauromáquicos possam ainda vir a ser reenquadrados, passando as Praças de Touros a ser equiparadas a outros recintos culturais, como salas de teatro ou cinema, facto que se encontra a ser avaliado pelo Ministério da Cultura, à luz da actual legislação em vigor e hoje publicada em Diário da República, “podem ser promovidos, em articulação com a Direcção-Geral da Saúde, eventos teste-piloto para a definição das orientações técnicas, nomeadamente relativas à ocupação de lugares, à lotação e ao distanciamento físico”, prevendo mesmo o decreto que “os espectadores, artistas e técnicos, bem como todos os trabalhadores e prestadores de serviços envolvidos na organização, realização e produção de festivais e espetáculos de natureza análoga podem ser sujeitos à realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2.”

De momento não existe ainda uma definição da Direcção Geral de Saúde relativamente aos espectáculos tauromáquicos, havendo mesmo alguns que já se encontram anunciados, e que podem mesmo vir a servir de eventos teste para a realização da testagem rápida a todos os intervenientes e espectadores.

A confirmar-se este sistema de testagem rápida nos espectáculos, os forcados, que de acordo com a normativa da Direcção Geral de Saúde para a tauromaquia, são obrigados a realizar teste pcr antes do espectáculo poderiam vir a realizar também a testagem rápida, de acordo com o Decreto de Lei hoje publicado.

Os agentes taurinos aguardam agora as definições da Direcção Geral de Saúde e do Ministério da Cultura, via Inspecção Geral das Actividades Culturais, de modo a avaliar ou reavaliar a realização dos espectáculos tauromáquicos.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0