Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Vila Nova da Barquinha - Salvador armou o taco!

  • 2021-10-06 02:07
  • Autor: Rodrigo Viana
  • Autor da Foto: Rodrigo Viana


Realizou-se na tarde deste Feriado Nacional, dia 5 de Outubro, uma corrida de touros com palco em Vila Nova da Barquinha.
Perante boa entrada de público, actuaram os cavaleiros João Moura, Rui Salvador e Miguel Moura.
As pegas estiveram por conta dos Grupos de Forcados Amadores de Tomar e da Chamusca e ainda Aposento da Chamusca.
Lidou-se um curro de toiros da ganadaria Mata-o-Demo.
CRÓNICA DA CORRIDA

Dia da Independência, feriado nacional e as portas da castiça Praça de Toiros de Vila Nova da Barquinha abriu para realizar um festejo, de forma a preservar a tradição naquele local. Foi muito o público que acorreu, havendo muito bom ambiente no tauródromo, o que claramente se torna motivante para quem actua.

Rui Salvador armou por completo o taco frente ao segundo da ordem. Uma lide com cabeça, tronco e membros numa temporada que está a ser para si a todos os níveis brilhantes e que assumia outros patamares não fosse a maldita pandemia. Lidou aquele que foi o melhor toiro da corrida, bregou com enorme maestria, cravou a fazer relembrar os seus áureos tempos de "cavaleiro dos ferros impossíveis" e manteve por completo o alto nível que tem demonstrado esta temporada. Enorme! Frente ao segundo de seu lote, enfrentou maiores dificuldades tendo, todavia, superado e estado por cima de um toiro complicado com investida pouco franca.

Miguel Moura teve também ele uma passagem muito positiva pela arena ribatejana. Abriu com um ferro comprido em sorte de gaiola de cortar a respiração, cravado de forma cingidíssima. O toiro apertou o cavaleiro e persegui-o com alegria, levantando o simpático público que se encontrava no local. Desenhou duas  séries de curtos limpas e adequadas às características de cada toiro que lhe tocaram em sorte, terminando ambas as lides com palmitos de boa nota.

João Moura foi o mais infortunado da tarde, lidando um lote complicado e que dificultou muito o labor do toureiro. Duas lides dentro do seu conceito e do que nos tem habituado nos últimos tempos, cravando ferros com ligeiras batidas ao pitón contrário.

Nesta tarde estava em disputa um troféu para a melhor pega, sendo júris os cabos das três formações.  Saiu vencedor, Fábio Sousa, do Grupo de Forcados Amadores de Tomar, com uma pega tecnicamente perfeita ao primeiro intento, suportando uma investida alegre do astado. Pela formação que comemora o seu 65° aniversário, pegou ainda Francisco Coelho, à segunda tentativa. Pelos Amadores da Chamusca foram caras João Narciso, pegando à primeira e Miguel Santos que dobrou o colega Hélder Delgado, consumando ao quarto efetivo intento, tendo ambos os forcados da cara saído de maca. Pela formação do Aposento da Chamusca avançaram na linha da frente Vasco Coelho dos Reis e João Saraiva, efectivando à primeira e segunda tentativas, respetivamente.

O curro de toiros de Mata-o-Demo, saiu com apresentação irrepreensível, sendo díspares em comportamento. Melhor toiro da corrida foi o lidado em segundo lugar, tendo o quarto sido recolhido após cravado o primeiro comprido. Ainda assim, a empresa assumiu a situação, oferecendo o toiro sobrero para que o público, que paga bilhete não saísse defraudado.

Corrida dirigida por José Soares.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0