Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Vila Franca - Ganadaria Palha ganha Troféus Apresentação e Bravura

  • 2021-10-06 02:18
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Realizou-se na noite desta terça-feira, dia 5 de Outubro, feriado nacional, uma corrida de touros em Vila Franca, por ocasião da sua Feira Anual.
Em praça estiveram os cavaleiros João Ribeiro Telles e João Salgueiro da Costa (mano-a-mano), bem como reses das ganadaria Pinto Barreiros, Veiga Teixeira, Casa Prudêncio, Passanha, Canas Vigouroux e Palha, disputando o troféu ‘Apresentação’ e ‘Bravura’, ganhos, ambos, pela ganadaria Palha.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

Vila Franca e a sua Praça de Touros Palha Blanco, voltaram a abrir portas esta temporada, para aquela que viria a ser, crê-se, a última corrida nesta praça, neste ano 2021.
O tauródromo voltou a afirmar-se como exigente e sobretudo e cada vez mais, como apetecido pelo público, pois mais uma vez, voltou a registar uma importante moldura humana, cerca de três quartos da lotação completa.

O cartel, transformado pelo infortúnio de Francisco Palha, ditou que fosse um dos triunfadores da Feira, a substituir o toureiro. João Salgueiro da Costa, entrou por 'direito' no mano-a-mano onde estava já João Ribeiro Telles e 'sem querer', defrontaram-se, dois daqueles que são sem lugar a dúvidas, dois dos mais relevantes nomes da temporada.

A corrida era também ‘Concurso de Ganadarias’, teve exemplares dos seguintes ferros: Pinto Barreiros, Veiga Teixeira, Casa Prudêncio, Passanha, Canas Vigouroux e Palha.

A ganadaria Palha, acabaria por vencer os dois troféus em disputa, sendo que o relativo à Bravura, suscitou assobios por parte do cônclave, que claramente, não concordou.

No que à apresentação concerne, o prémio está bem entregue. Contudo, no que a bravura diz respeito, quiçá o correcto, fosse um prémio sem dono. Ainda assim, ressalve-se, que todos os exemplares tiveram uma nota dominante, foram colaborantes, sem complicar e sobretudo, tiveram mobilidade, emprestando alguma emoção ao festejo.

João Ribeiro Telles lidou os exemplares de Pinto Barreiros, Prudêncio e Canas Vigouroux.
O ginete foi autor de uma primeira exibição em que recebeu o seu oponente à porta gaiola, levando consigo o Pinto Barreiros. Nada mal feito, muito pelo contrário e uma muito boa actuação, com ladeios e ferros com batida ao piton contrário.

Frente ao segundo, o de Prudêncio, voltou a exibir regularidade nas suas interpretações, numa actuação em que se destacam os dois primeiros curtos, de muita qualidade e reuniões muito ajustadas.

Para último ficou o Canas Vigouroux, um toiro que tinha as suas 'teclas' para tocar e que nem sempre permitu ao ginete facilitar...
Andou regular até ao momento em que trouxe à arena a sua montada estrela, o Ilusionista. Com ele deixou três curtos, com o toiro praticamente fechado em tábuas.
Telles quis imprimir emoção à função e talvez por isso, tenho cometido o erro de se precipitar numa viagem de saída demasiado apertada, consentindo um previsível toque na montada, saindo a rectificar com um bom ferro com esta mesma montada.

João Salgueiro da Costa lidou o Veiga Teixeira, o Passanha e o triunfador, Palha.
Salgueiro foi autor de uma primeira exibição muito regular, mas que não rompeu em triunfo. Atenção que nada foi erradamente feito, mas não redondeou.

Frente ao Passanha deu-se o 'boom' de Salgueiro.
O dinástico toureiro esteve verdadeiramente bem e aqui sim, deu-se aquela que foi a mais triunfal actuação das seis da noite. Salgueiro andou em crescendo, com cada curto a resultar mais emotivo que o anterior. sortes frontais, boas 'mexidas' no toiro e resultado? Público constantemente a ovacionar de pé.

Por último, o Palha.
O Palha foi realmente alegre a investir e Salgueiro, não se negou a lidá-lo, da mesma forma, ou seja, com verdade, de frente, a reunir ao estribo e a rematar as sortes. Tudo isto, com um Palha, onde a importância se agiganta.
Mas não começou assim... Salgueiro, numa sorte para si atípica, cravou o primeiro comprido em sorte de gaiola, limpa, bonita, saindo o toiro a carregar e Salgueiro da Costa a dobrar-se em curto com ele.

Foi uma noite feliz para Salgueiro, bem como para si, uma recordatória Feira de Vila Franca.

As pegas da noite, foram asseguradas pelo Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira, que em solitário e como de resto é habitual, pegou as seis reses do festejo.

Para a cara dos toiros, foram os forcados: Ivo Carvalho, efectivando ao primeiro intento, tal como Rafael Plácido. Prosseguiram João Luz, consumando à terceira tentativa; João Matos à segunda tentativa; Vasco Pereira com uma grande pega à primeira tentativa e por último, Guilherme Dotti, à quarta tentativa.

O espectáculo foi dirigido pelo Delegado Técnico Tauromáquico, assessorado pelo Médico Veterinário, Jorge Moreira da Silva.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0