Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Balanços da Temporada - A Defesa da Festa

  • 2021-12-23 21:41
  • Autor: Solange Pinto


Os mais destacados foram: os Aficionados

Em primeiríssima instância, quem mais defende a Festa, são os aficionados.

A Defesa da Festa, expressão muito utilizada desde que existe Prótoiro, parece fazer sentido em tempos de guerra, nos quais entrámos também numa fase contemporânea à da existência da Federação. Até lá, a Tauromaquia era uma certeza incontornável, as praças de touros mais, os aficionados incontestados no que aos seus princípios concerne e os agentes do "circuito", senhores de respeito...

Desde a fundação da Prótoiro e atenção que esta baliza temporal é mera coincidência, houve tauródromos que encerraram as suas portas ou que foram extintos, o Campo Pequeno degradou a sua importância em número de espectáculos realizados, a idade mínima dos espectores para assistir a um espectáculo tauromáquico aumentou e a possibilidade de ser toureiro, começa agora cada vez mais tarde... A juntar a tudo isto, a questão do IVA e até, imagine-se, a partidarização constante da tauromaquia, que insistem em fazer crer que é de Direita.

Pois bem, um dos erros craços está exactamente aqui. A estúpida associação a certos partidos políticos a hostilização de outros opostos e a não capacidade de perceber, que a maioria dos municípios taurinos, tem gestão a cargo do Partido que até agora governava o país.

A idolatração que de quando em vez surge face a certas personagens da política, é ridicula e minimiza outras tantas caras de "cores distintas" que também vão aos toiros... A Tauromaquia é de todos e se a tentamos dividir, ficará mínima e encerrada numa bolha.

Junto de temas fracturantes, o Presidente da Prótoiro mostrou-se amorfo, sem capacidade interventiva...
Mais do mesmo, de uma Festa cuja tão badalada "defesa", se faz com discursos correctos em conhecimento, em retórica, mas gélidos de sentimentos.

Resultados práticos: mobilização "q.b." no dia 10 de Junho em Santarém... Aficionados, claro está, e a presença de dois líderes de partidos políticos que apenas chegaram no fim da "manif" não fosse a exposição ser em demasia...

Estamos sempre à espera que um qualquer tribunal nos dê razão sobre a ilegalidade de encerramento de uma qualquer praça, mas "raios", a título póstumo desses tauródromos perdidos.

A tauromaquia reage muito mais do que age e depois, qualquer manifezinha dos "antis", provoca as imagens que se viram junto ao Campo Pequeno no dia em que ali actuaram os "Mouras".

Mais do mesmo? Claro!

A tauromaquia não se defende com 5.000 Euros provenientes de uma Gala, nem tão-pouco, se coloca isso em termos publicitários. Esta sim era a informação que deveriam castrar.

A tauromaquia sempre foi solidária, nunca precisou de tão imberbe ninharia para se defender.

A única caricatura que se poderia aqui criar para ilustrar o momento: um toiro a pedir esmola à porta do Kais enquanto os "senhores" entravam para o repasto.

Enquanto isso: poderemos estar no linear de grandes alterações na tauromaquia... mas as galas continuam, sendo essa a grande preocupação do pessoal alheio a tudo isto que dizem defender com unhas e dentes.

Que fique claro: Viana do Castelo, Póvoa de Varzim, Albufeira, Setúbal, já foram... 6 datas no Campo Pequeno (que passarão a quatro)... mas está tudo bem... sendo que, a pandemia, não foi desculpa para tudo!

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0