Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Jaime Ostos... uma vida apaixonada e apaixonante!

  • 2022-01-09 18:14
  • Autor da Foto: D.R.


8 de Abril de 1931 - 8 de Janeiro de 2022

Nasceu em Écija, Sevilha, no dia 8 de Abril de 1931 e quis o destino, que fosse também num dia 8, mas desta feita, do mês de Janeiro, que viesse a falecer.

Jaime Ostos, morreu na Colômbia, enquanto dormia... Até ali viajou com a sua esposa actual, María Ángeles Grajal, de 67 anos de idade, médica, onde assistiu às corridas de Cali e Manizales. Deveria regressar a Espanha no dia de hoje, Domingo.

A sua idade avançada, em sintonia com os inúmeros problemas cardíacos, fizeram com que não resistisse a um enfarte fulminante, sobretudo depois de múltiplos internamentos hospitalares em inícios de 2020, aquando do surgimento da pandemia por Covid-19.

Da carreira, muito haveria a dizer de um toureiro que deu cartas nas décadas de 60 e 70.

Ostos debutou em público em Écija 1 de Junho de 1952 e tomou a alternativa de matador de toiros a 13 de Outubro de 1956 em Zaragoza, tendo como padrinho Miguel Báez 'Litri', e testemunha António Ordoñez. Confirmou alternativa em Madrid, a 17 de Maio de 1958, com António Bienvenida como padrinho e Gregório Fernández como testemunha.

No entanto e pese embora tenha tido uma carreira recheada por colhidas e triunfos, a sua vida passou muito pelas páginas dos jornais e revistas dedicadas 'al corazón'. Os seus três casamentos e o nascimento dos seus quatro filhos, fizeram as delícias do mundo rosa.

O seu primeiro casamento foi com Consuelo Alcalá, na Basiílica da Macarena, em Sevilha, numa relação formal de 9 anos, com quem teve dois filhos. Mais tarde, viriam os escândalos... Consuelo veio admitir publicamente que era vítima de maus tratos por parte do lendário toureiro, em episódios com desfechos judiciais.

Aurora Díaz Cano foi a segunda das relações de Jaime Ostos, com quem teve uma filha, Gisela, a quem apenas reconheceu a paternidade com recurso a processos judiciais e comprovativos de ADN.

Por último e numa fase já mais calma do matador de toiros, apareceu na vida do diestro, a médica María Ángeles Grajal, com quem teve o seu quarto filho, Jacobo Ostos.

O casal contraiu matrimónio no ano de 2013, na Herdade de Yarbabuena, propriedade de José Ortega Cano, de quem era íntimo amigo e que agora é dos colegas que mais chora o seu desaparecimento.

Até ao momento, desconhecem-se ainda os pormenores das cerimónias fúnebres do célebre toureiro, bem como até a data de transladação do seu corpo para Espanha, vindo da Colômbia, onde faleceu.

Os jornais generalistas espanhóis, bem como a imprensa "rosa", tem ao longo destas horas, rendido imponente homenagem ao toureiro, fazendo 'parangonas' a propósito do seu desaparecimento.

Dos colegas, toureiros de ouro, de prata, rejoneadores e ganadeiros, têm surgido as naturais homenagens...
O mundo taurino chora a morte de um dos seus!

 

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0