Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Coruche - Salgueiros reivindicaram a afición do Sorraia

  • 2022-06-25 03:23
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Realizou-se na passada noite de sexta-feira, dia de São João, 24 de Junho, o terceiro espectáculo da presente temporada na Monumental de Coruche.
Em praça estiveram os cavaleiros António Telles, João Salgueiro, João Salgueiro da Costa e António Telles filho, com pegas a cargo dos Amadores de Coruche e Alcochete.
O espectáculo com toiros da ganadaria Passanha, contou com uma lotação preenchida que rondou a meia lotação.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

O dia prometia instabilidade mas a noite convidou a saborear uma noite de touros diferente, com o selo de garantia da Associação ‘A Nossa Praça’.

Praticamente meia casa e um cartel diferente, num tauródromo que este ano ‘tira a barriga de misérias’. Terceiro elenco, marcado pelo regresso à ‘SUA’ praça de António Telles e seu filho António Telles, bem como de João Salgueiro e também seu filho, João Salgueiro da Costa.

Nas lides a solo, triunfaram os Salgueiros e com força.
Duas actuações de grande nível, sem ‘invenções’ ou alardes exagerados, mas com segurança, coerência e aparente facilidade e gosto.

João Salgueiro da Costa, andou poderoso e pese embora um primeiro comprido traseirote, tudo o resto foram ‘rosas’. Bem a receber o oponente, em curto, tal como a deixar a ferragem, com reuniões exímias e ferros de excelência. Lide de muitos quilates a fazer renascer uma dinastia e que, de quando em vez, surpreende…

João Salgueiro foi… João Salgueiro. A receber, igual a seu filho… em curto, poderoso.

Nas bandarilhas, um ferro bom, outro melhor e assim sucessivamente. Grande actuação, a motivar saudades de outros tempos em que o toureio ‘padecia’ de uma aparente facilidade embrenhada na dificuldade que é bem tourear.

Público em pé, de forma espontânea.

Os Telles, com menor sorte com as reses que compunham o seu lote, andaram solventes, mas sem deslumbrar.

Abriu a função o cavaleiro António Telles, deixando a ferragem da praxe, com rigor e correcção, mas também, com o oponente a não colaborar na medida do desejável e nem lá perto, constantemente a fugir para tábuas.

Em sintonia com seu pai, o astado lidado por António Telles filho teve semelhante comportamento e o toureiro, andou com raça, mas a passar demasiadas vezes em falso, o que haveria de retirar brilho ao seu labor. De qualquer forma cumpriu com a papeleta, deixando ainda duas bandarilhas de boa nota em terrenos sesgados.

Nas lides a duo triunfaram os Telles, a receber o Passanha à porta gaiola, deixando bons compridos. Entre adornos e sintonia entre ambos os toureiros, levaram a efeito uma actuação ritmada e dinâmica. Terminaram com palmitos uma exibição emotiva.

Os Salgueiros registaram sempre um tom regular, mas sem tons de triunfo, deixando a ferragem de forma regular.

No mesmo dia e ano em que comemoravam 51 anos de existência, estiveram em praça para as pegas da noite, os Grupos de Forcados Amadores de Coruche e Alcochete.

Por Coruche, foram na linha da frente, os forcados João Prates, consumando ao segundo intento; Bernardo Cortês, também ao segundo e; António Macedo Tomás à primeira tentativa.

Pelos Amadores de Alcochete, pegaram de caras, Afonso Matos Correia, efectivando à primeira tentativa; à segunda, Henrique Teixeira Duarte e; Manuel Pinto, à primeira tentativa.

Lidou-se um curro de touros de Passanha, regular em apresentação e dissemelhante em comportamento, sendo que no entanto, todos exibiram mobilidade.

O espectáculo foi dirigido pelo Delegado Técnico Tauromáquico Manuel Gama, assessorado pelo Médico Veterinário José Luís Cruz.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0