Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Montijo - All night long...

  • 2022-09-04 03:24
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Realizou-se na noite de Sábado, 3 de Setembro, uma corrida de touros com elenco composto pelos cavaleiros Sónia Matias, Gilberto Filipe, Filipe Gonçalves, João Moura Caetano, Manuel Telles Bastos e Emiliano Gamero e pelos Grupos de Forcados Amadores do Ribatejo, Tertúlia Tauromáquica do Montijo e Amadores do Montijo.
Lidaram-se toiros de diversas ganadarias, sendo que o tauródromo montijense contou com uma lotação preenchida que rondou a meia casa.
Venceram os troféus em disputa neste concurso de ganadarias, os toiros de São Marcos e Paulo Caetano.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

A Praça de Touros Amadeu Augusto dos Santos voltou a abrir portas, pela terceira vez na temporada, de forma a receber a ‘Corrida das Tertúlias Montijenses’, sendo também este, o festejo de Homenagem Póstuma a José Luís Figueiredo, forcado de nome maior por entre os seus pares e que, neste espectáculo, foi justamente reconhecido.

Assim sendo, antes do início do elenco e com a sua esposa e filhos na arena, foi lembrada a sua trajetória.

O tauródromo importante e prestigiado, não exibiu a moldura humana habitual, colocando por entre as bancadas, um número de público que terá rondado sensivelmente a meia casa, com maior incidência nos sectores de sol.

Elenco variado, embora com algumas repetições face a outro espectáculo já realizado esta temporada na mesma praça. Sónia Matias, Gilberto Filipe, Filipe Gonçalves, João Moura Caetano, Manuel Telles Bastos e Emiliano Gamero foram os artistas em cartel.

Corrida demorada, com muitas tentativas de pegas e sobretudo, com pouco sentido rítmico em todos os aspectos. All night long... Totalizaram-se as quase quatro horas de espectáculo, com ainda, um intervalo pouco oportuno, visto que o atraso maior já estava ‘conquistado’ por alturas do equador do mesmo.

Sónia Matias abriu a função de boa forma, deixando os compridos e curtos da praxe de boa forma, desenhando bem as sortes, aproveitando o seu costumeiro gancho com o público.

Gilberto Filipe lidou um manso, que desde início deu todos os indícios da pouca vontade de colaborar com a função. Depois da ferragem inicial, Gilberto fez todas e certeiras diligências para que o seu labor resultasse entretido, o que sim conseguiu, deixando de forma muito meritória as bandarilhas habituais. Função de boa nota.

Filipe Gonçalves lidou o melhor toiro da corrida. Das reuniões levadas a efeito depois de batida ao piton contrário, algumas mais ortodoxas que outras, destaca-se o segundo curto. Terminou com um violino e palmo deixados na mesma sequência e um outro curto, com remates em piruetas ajustadas, que o público muito ovacionou.

Arriscaria em dizer que a melhor lide da noite foi a protagonizada pelo cavaleiro João Moura Caetano, a atravessar um feliz momento da sua carreira. Lidou um toiro cumpridor da Herdade de Camarate, cuja investida teve de cuidar pois era escasso de forças. Com o Campo Pequeno templou a investida do oponente, rematando as sortes com elegante vistosidade.

Manuel Telles Bastos foi o menos ‘bafejado’ pela sorte, pois o seu ‘inimigo’ não tinha recursos possíveis. Depois dos três compridos, o ultimo descaído, deixou uma série de curtos em terrenos sesgados. Ainda assim função meritória por parte do dinástico toureiro.

Encerrou a noite longa de toiros, o rejoneador mexicano Emiliano Gamero. Gamero cumpriu com a ferragem inicial, exibindo duas distintas fases em curtos. A primeira delas com menos ‘justeza’ nas acções, mas ainda assim efectiva e sem passagens em falso, a segunda, com um violino e um outro curto, de boa nota e que fizeram ‘terminar a explosão do público’ que aprecia o seu fortíssimo conceito de espectáculo.

As pegas estiveram por conta dos Grupos de Forcados Amadores do Ribatejo, Tertúlia Tauromáquica do Montijo e Amadores do Montijo.

Pelos Amadores do Ribatejo, pegaram: Pedro Espinheira (cabo), à terceira tentativa e Ricardo Regueira, ao primeiro intento.

Vestindo a jaqueta do Grupo da Tertúlia Tauromáquica do Montijo, estiveram Rúben Firmino, tentando pega de caras por cinco vezes, sendo consumada de cernelha por Luís Carrilho e Rodrigo Carrilho; e Tiago Feitor à primeira tentativa.

Pelos Amadores de Montijo, efectivaram pegas ao segundo intento, Ricardo Parracho; e ao primeiro José Pedro Suiças (cabo).

Nesta corrida, lidaram-se touros da ganadaria de Varela Crujo, Adriano Ferreira, Paulo Caetano, Herdade de Camarate, Voltalegre e São Marcos, sagrando-se vencedores do concurso para os prémios Apresentação e Bravura os exemplares de São Marcos e Paulo Caetano.

Destacaram-se efectivamente e pela positiva o toiro de Paulo Caetano, lidado por Filipe Gonçalves e negativamente, os toiros de Adriano Ferreira e Voltalegre, lidados por Gilberto Filipe e Manuel Telles Bastos, respectivamente.

O espectáculo foi dirigido pelo Delegado Técnico Tauromáquico Fábio Costa, assessorado pelo médico veterinário Jorge Moreira da Silva. Palavra de apreço à paciência mas bom-senso do Director em aguentar o muito tempo que demorou a concretização da segunda pega da noite, tentando desta forma elevar o espectáculo.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0