Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Vila Franca - Salgueiro da Costa sozinho em noite de aniversário da Palha Blanco

  • 2022-10-01 02:39
  • Autor: Solange Pinto
  • Autor da Foto: João Dinis


Realizou-se esta noite de sexta-feira, na Palha Blanco, a primeira de quatro corridas de touros que integram a Feira de Outubro, em Vila Franca.
João Salgueiro da Costa encerrou-se com seis touros das ganadarias Vinhas, Veiga Teixeira, Canas Vigouroux, Antonio Silva, Palha e Passanha.
As pegas estiveram por conta dos Grupos de Forcados Amadores de Santarém e Vila Franca, com o tauródromo a contar com cerca de um terço de entrada.
CRÓNICA DA CORRIDA
GALERIA FOTOGRÁFICA
ASSIM ACOMPANHAMOS EM DIRECTO

Não sei se devo dizê-lo, mas a verdade é que a corrida em 'modo encerrona' de João Salgueiro da Costa, aconteceu apenas e só, um ano depois de vivida pelo mesmo toureiro, uma temporada de sonho.
No ano 2021, houve diversos e consistentes triunfos, sendo que o de Vila Franca, com Palhas, foi uma coisa 'do outro mundo' e tanto assim foi, que aí, começou a desenhar-se o projecto 'Salgueiro com seis touros'...

As encerronas, dizem-se com dois motivos, consagração ou salvação, mas, a verdade é que Salgueiro da Costa não está em nenhum dos patamares. Apenas e só, quis fazer este desafio pessoal e que disso se tratou... Pouco público, cerca de um terço de lotação preenchida, numa noite fria como epílogo de uma temporada taurina ainda muito abastada, mas que acontece, no epicentro de uma crise económica vasta e ainda, no mesmo mês da reentrada nas aulas dos miúdos.

Salgueiro vestiu seis diferentes casacas, tendo a preocupação de dar um estimulo visual e colocou seu Pai, João Salgueiro, como toureiro suplente, ainda assim, ressalve-se em jeito de 'não tema', que Salgueiro Pai, não colocou nem um ferrito.

Pois bem, três brindes ao público, um a Ricardo e Rui Levesinho, outro aos cabos dos Grupos de Santarém e Vila Franca e ainda outro, a Gonçalo Montoya.

De toiros, Salgueiro teve dos bons, dos menos bons e daqueles que não serviram, como o caso do Canas Vigouroux, ao qual lidou em jeito de 'despacha com dignidade' e assim foi, nada errado, mas actuação sem história, sem música (foi a única) e sem volta autorizada.

Tudo o resto teve como nota: dignidade, maneiras, correcção e até alguns momentos de inspiração, pena foi, que estes últimos foram rasgos isolados, sendo que o resto sim, houve aos montes.

Da terceira lide já falamos (Canas Vigouroux), sendo que da primeira (Vinhas), fica na retina a evolução em curtos, destacando-se as derradeiras bandarilhas.

Frente ao Veiga Teixeira, ou seja, a segunda lide, entrámos no tal registo do tudo ok, tudo certo, mas foi isso.

A quarta lide teve por diante um toiro de António Silva, que exibiu mobilidade e vontade. Premiar o criador do toiro não teria vindo mal, mas a verdade é que e apesar da suas boas caracteristicas, nada de fabuloso a destacar, a não ser, o 'tudo bem fetinho' e o facto de o ter recebido à porta gaiola.

A quinta lide, frente ao Palha, foi a mais redonda e redondeada pelo toureiro de Valada.
Bem nos compridos, nos curtos e em toda a abordagem ao oponente, aproveitando muito do que tinha para dar, sobretudo mais emoção.
o último curto, com o toiro encerrado em tábuas, foi de elevadíssima nota.

Por último, saiu à arena o toiro de Passanha, destinado à sexta e última lide.
O primeiro comprido foi deixado em sorte de gaiola, apertada e de compromisso. Depois de um período mais morno, chegaram as boas reuniões e a última, de valor.

As pegas estiveram por conta dos Grupos de Forcados Amadores de Santarém e Vila Franca.

Pelos de Amadores de Santarém, foram na linha da frente, os forcados Caetano Galhego, efectivando ao primeiro intento; Francisco Cabaço, ao quarto intento e; Francisco Paulos, à segunda tentativa.

Pelos Amadores de Vila Franca, pegaram de caras Rodrigo Andrade e Lucas Gonçalves, à primeira tentativa; e Rafael Plácido, ao segundo intento.

Lidaram-se seis exemplares de diversas ganadarias. Foram elas: Vinhas, Veiga Teixeira, Canas Vigouroux, Antonio Silva, Palha e Passanha. Com maior trapio os quatro últimos, sendo que os primeiros dois eram mais escorridotes, motivando um ou outro protesto. Quanto ao desempenho, houve de tudo, mas houve sobretudo e positivamente, um bom toiro de Antonio Silva e um em oposição de desempenho, de Canas Vigouroux.

o espectáculo dirigido pelo Delegado Técnico Tauromáquico Tiago Tavares, assessorado pelo Médico Veterinário, Carlos Santos.

Antes do início do espectáculo, fez-se uma procissão à luz das velas, sendo que Teresa Tapadas foi a anfitriã musical.

Não menos importante é referir que no dia em que João Salgueiro da Costa sozinho, a Palha Balnco ouviu os 'parabéns' tocados pelo Ateneu Artístico Vilafranquense, pelo cumprimento neste exacto dia, do seu 121º aniversário.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0