Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação enquanto utilizador. A desactivação desta funcionalidade poderá impedir este site de funcionar correctamente. Ao continuar a visitar o nosso site, está a aceitar esta utilização de cookies.     [Aceitar e Fechar]
  • geral@touroeouro.com

Balanço da Temporada - Ganadarias

  • 2019-12-15 21:32


No ano que agora termina, houve menos ‘confrontos’ ganadeiros, fórmula muito apreciada pelo público que regra geral, vai a uma corrida em busca de arte, mas também e será desejável que assim seja, vai em busca também de emoção.

Houve sem dúvida, um melhor entendimento daquilo que as gentes procuram e que o toiro ‘nhoc-nhoc’, adormece o pessoal nas bancadas, que ali não está para ver bailado, sobretudo quando se fala de toureio a cavalo.

Se um toiro se apresenta com intenções denunciadas, morre-se de tédio e todos reclamam à saída do festejo, disso mesmo, que ‘ai e tal, aquilo até eu toureava’, pese embora seja apreciável a doma equestre, nestes casos muito mais espectacular… Mas, se por outro lado, a passividade de certas reses dá lugar a génio e alguma confusão entre ‘bravura, génio e maldade’, vem o ‘ai e tal, aquilo mais parecia cruzado, eram toiros quase assassinos e sem lide ou pegas possíveis’…

Pois é, o que atrás se referiu, traz-nos à memória, uma corrida que ficará por muito tempo na retina de quem viu. A corrida de Coruche, com ferro de São Torcato e que teve as consequências que aqui não vêm ao caso, bem como a corrida de São Martinho, lidada em Tomar, com consequências que aqui também não falaremos…

Mas esses espectáculos, são os tais, que sob exagero ou não, põem a tauromaquia na base do respeito e põem toureiros e forcados, como heróis…

Nota ainda, para a banalização dos Concursos de Ganadarias. Já se fazem em todo o lado, e sobretudo e muito mais condenável, com touros que antecipadamente, não vão a concorrer para o troféu ‘apresentação’.

Até houve, imagine-se, ‘Corrida de Jaboneros’, da ganadaria Canas Vigouroux e que, expõe ao ridículo o toiro, aparentemente valorizado pela pelagem, quando, o importante seria mesmo, o que leva dentro… Esta historieta, fez lembrar um anúncio de espetáculo de circo, com a ‘presença dos perigosos ursos brancos…’!

Houve na temporada 2019, claro está, inúmeros toiros a dar volta à arena e pena, que foram apenas casos isolados e que não deram às respectivas ganadarias, o estatuto de regularidade que se pretende aquando deste tipo de análises.

Resta frisar, que na linha do ‘suavezito…’, se destacou um bom desempenho da ganadaria Charrua, tendo mesmo ganho troféu em Abiul e, quatro bons toiros saídos em Lisboa, numa corrida de grande nota e apresentação melhorada, de Brito Paes.

Palavra ainda para os ferros que mais lidam no estrangeiro, como por exemplo, a ganadaria Passanha, ainda e sempre uma das grandes representantes da bandeira lusa no lado de lá; o regresso da ganadaria Murteira Grave a Las Ventas, ainda que apenas com uma rês e a eterna e lendária ganadaria Palha, a recuperar prestígio na terra de ‘nuestros hermanos’.

google.com, pub-5416276538842499, DIRECT, f08c47fec0942fa0